O País – A verdade como notícia

Chelsea segue firme no topo da Premier League

Foto: Getty Images

O Chelsea reforçou hoje a liderança da Liga inglesa de futebol, ao somar a quinta vitória nos últimos seis jogos da prova, na visita ao Leicester, por 3-0, na partida que abriu a 12.ª jornada. Antes da recepção à Juventus, para a Liga dos Campeões, os ‘blues’ construíram o triunfo com golos do alemão Antonio Rudiger, aos 14 minutos, do francês N’Golo Kanté, aos 28, e do norte-americano Christian Pulisic, aos 71.

A formação comandada por Thomas Tuchel segue destacada no topo da Premier League, com 29 pontos, mais seis do que Manchester City e West Ham e mais sete face ao Liverpool. Os ‘citizens’ apenas jogam no domingo, frente ao Everton, enquanto ‘hammers’ e ‘reds’ entram hoje em campo, perante Wolverhampton e Arsenal, respetivamente. Já o Leicester, que não contou com o internacional português Ricardo Pereira, averbou o terceiro encontro seguido sem vencer e continua longe dos desempenhos das épocas anteriores, ocupando um modesto 12.º posto, com 15 pontos. Já o Liverpool continua firme na perseguição ao líder Chelsea. Em vésperas de receber o FC Porto – o encontro da 5.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões realiza-se na próxima quarta-feira –, a equipa de Jurgen Klopp despachou o Arsenal, por 4-0, num jogo da 12.ª jornada da Premier League.

Em Anfield, o espectáculo foi pobre durante a primeira meia hora, sem registo de qualquer oportunidade: a nota de maior destaque foi mesmo um desentendimento dentre Jurgen Klopp e Mikel Arteta, com o árbitro a interromper a partida para exibir o amarelo aos dois treinadores. Assim foi… até aos reds despertarem num disparo de Thiago Alcântara: Mané seguiu o exemplo, mas caprichou na finalização, cabeceando para o primeiro golo da tarde (39 minutos), na sequência de um livre apontado por Alexander-Arnold. Na segunda parte, o vendaval ofensivo dos homens da casa acentuou-se, com Ramsdale a afirmar-se como a principal figura dos gunners: o guarda-redes da equipa orientada por Mikel Arteta impediu uma derrota escandalosa. Apesar da inspiração de Ramsdale, tantas foram as vezes que o Liverpool chegou com perigo à área contrária que havia de voltar a marcar. Diogo Jota agradeceu um passe comprometedor de Nuno Tavares na retaguarda, deitou Ben White no relvado e atirou para o fundo da baliza (52’). Impossível seria Salah ficar em branco: o egípcio só teve de encostar (73’), numa jogada que envolveu ainda Diogo Jota e Salah. As contas ficaram fechadas por Minamino (77’), no primeiro toque do japonês na bola, após ter saltado do banco.

 

UNITED HUMILHADO

Os red devils saíram derrotados da visita ao Watford com uma goleada por 1-4, agravando a série de resultados negativos. Joshua King (28’), Ismaila Sarr (44’), João Pedro (90+2’) e Dennis (90+5’) deram a vitória aos anfitriões, Van de Beek fez o golo de honra (50’). Uma partida em que Bruno Fernandes e Cristiano Ronaldo foram titulares, o Watford mostrou-se mais ameaçador e aos 8’ teve grande ocasião para se adiantar no marcador: De Gea defendeu penálti de Ismaila Sarr, foi batido pela recarga de Kiko Femenía, mas o lance foi repetido (por entrada na área antes de tempo por parte do lateral). E na repetição, De Gea voltou a negar o golo a Ismaila Sarr. Contudo, acabaria batido por Joshua King (28′) e Ismaila Sarr (44′) numa primeira parte onde o Man. United só chegou com perigo à baliza de Ben Foster por uma vez: Rashford foi travado pelo veterano guarda-redes (31′). Na segunda parte, Ronaldo assistiu Van de Beek para o 2-1 (50′), Maguire complicou as contas ao ser expulso por duplo amarelo (69’)  e o Watford confirmou o triunfo já na compensação, por João Pedro (90+2’) e Dennis (90+5’). A confirmar nova derrota do Man. United e aumentar de pressão sobre Solskjaer. Com este desaire, o quinto nos últimos sete jogos, o Manchester United é 7.º classificado, com apenas 17 pontos, estando já a 12 pontos da liderança do Chelsea.

 

SOLSKJAER DEMITIDO

A derrota de Ole Gunnar Solskjaer na casa do Watford, por 1-4, neste sábado à tarde, foi a gota que fez transbordar o copo dos dirigentes do Manchester United.

O treinador norueguês, que já foi criticado nas últimas semanas, na sequência dos desaires contra o Liverpool (0-5) e o Manchester City (0-2), deverá ser despedido nas próximas horas, como relatou o diário The Times.

Na última noite, sucedeu uma reunião de emergência em Old Trafford, onde se alcançou um acordo para o ponto final na relação entre Solskjaer e o United. Um divórcio que vai custar aos cofres do emblema de Manchester… nove milhões de euros. E este domingo, o Manchester a saída de Ole Gunnar Solskjaer do comando técnico dos red devils. O norueguês, que está em funções desde Dezembro de 2018 e tinha contrato até 2024, cumpriu ontem o último dia no Teatro dos Sonhos. De acordo com a imprensa inglesa, Solskjaer irá receber uma indemnização a rondar os nove milhões de euros.

O nome do sucessor ainda não é conhecido, embora o Manchester Evening News sugira três possíveis substitutos: Erik ten Hag (Ajax), Luis Enrique (seleccionador de Espanha) e Brendan Rodgers (Leicester). Entretanto, Michael Carrick assumirá o cargo de treinador interino.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos