O País – A verdade como notícia

Chega de defender e esconder violadores de raparigas, diz Nyeleti Mondlane

O sete de Abril foi celebrado com reconhecimento de avanços na equidade do género, mas a ministra que lida justamente com esta área assume que há ainda desafios, mormente no que respeita à violação dos direitos da mulher. A violência contra a rapariga e a mulher continua a preocupar.

“Existem desafios sim. Estamos a ver que os índices de violência contra a rapariga e contra a mulher em alguns pontos do nosso país tendem a aumentar”… Em dia de festa, os males que enfermam a sociedade não passaram despercebidos para Nyeleti Mondlane, ministra do Género, Criança e Acção Social. Face à violência contra a rapariga e mulher, Mondlane diz que a sociedade deve colocar um fim a este mal.

“Apelamos para que as comunidades encorajem as mulheres e as famílias. Chega de defendermos prevaricadores. Não há orgulho em famílias nenhumas em esconder pessoas que violam as nossas crianças e as nossas raparigas”, afirma Nyeleti Mondlane, vincando que “é um crime. Devemos assegurar que esse crime seja reportado e que haja responsabilização. Chega e basta”.

Mondlane reconhece, entretanto, que há ganhos no que se refere à equidade de género na governação do país e nas várias instituições, mas diz que se deve traduzir no trabalho do dia-a-dia.

“O que temos que assegurar é que esses ganhos tenham tradução no nosso trabalho do dia-a-dia”, diz.

E porque o mau se corta pela raiz, a titular da pasta do Género defende que “a comunidade tem a primeira responsabilidade de dar uma educação familiar condigna, de desenvolver valores saudáveis e assegurar que a nossa rapariga e o nosso rapaz ingressem na escola”.

Entretanto, os ganhos que o país tem alcançado mostram que há investimento na educação, diz a ministra da Cultura e Turismo, Edelvina Materula.

“Quase 50 anos depois da independência, o Governo investiu na educação e na formação, na igualdade de género e hoje podemos ver esses resultados nas mais diferentes esferas”, diz Materula.

As ministras falavam no âmbito da cerimónia oficial do dia 7 de Abril, Dia da Mulher Moçambicana, ocorrida na Praça dos Heróis moçambicanos, na Cidade de Maputo.

Na mesma ocasião, falaram outros membros do Governo e várias personalidades, enaltecendo o papel da mulher e destacando a necessidade de buscar referências de mulheres que lutaram contra os males do passado para vencer os desafios actuais.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos