O País – A verdade como notícia

Chanaya Pinto: o presente do futuro

Do outro lado do atlântico, precisamente em Portugal, há talentos do país a firmarem-se e a colocarem as suas equipas nos lugares de pódio. Um destes talentos, presente do futuro no basquetebol moçambicano, é Chanaya Pinto. No alto dos seus 1.80 metros, aos 17 anos, Chanaya Pinto tem arrancado excelentes exibições e ajudado o Quinta do Lombos, clube que representa, a lutar pela conquista de títulos.

Recuando no tempo e estacionando no mês de Fevereiro, Chanaya foi preponderante (com 18 pontos) na vitória do Quinta do Lombos diante do Algés da compatriota Carla Budane (59-42) e consequente conquista do Campeonato Distrital de Lisboa. O seu potencial extravasa a fronteira de clube porquanto, ano passado, foi umas as pedras de toque da selecção nacional de basquetebol sub-16 que conquistou a medalha de ouro nos Jogos da CPLP, na cidade da Praia, em Cabo Verde.Um percurso nas selecções de formação no qual constam presenças nos Jogos do SCASA, em 2014, no Zimbabwe, e Afrobasket sub-16, em Antananarivo, Madagáscar, em 2016.

Formada no Costa do Sol, Chanaya Pinto rumou depois para o Ferroviário de Maputo, onde começou a fazer estragos ainda muito nova.

Em Agosto de 2016, destacou-se no campo de treinos da NBA em África ao ser considerada melhor jogadora (MVP). Qualidades que, em Fevereiro último, valeram a sua chamada para o campo de treinos da NBA, nos EUA. Um sonho, de resto, realizado até porque teve a oportunidade de estar ao lado de grande de grandes referências do basquetebol mundial. “Foi uma experiência muito fantástica da qual nunca irei esquecer. Aprendi muita coisa e conheci muitas pessoas maravilhosas, e tive a oportunidade de ver as estrelas do basquetebol americano”, manifestou Chanaya Pinto, visivelmente emocionada.
Falando da sua integração no basquetebol português, concretamente no Quinta do Lombos, onde joga ao lado da sua compatriota Carla Covane, a promissora atleta notou que, gradualmente, familiarizou-se com a realidade que encontrou naquele país europeu. “Pressuponho que fiz uma boa integração, sendo que este é o meu segundo ano no clube. Já estou muito mais adaptada ao modelo de jogo do basquetebol português”, observou Chanaya Pinto. Quanto as diferenças entre o basquetebol moçambicano e português, Chanaya Pinto referiu que há uma diferença muito grande. “Não existe comparação possível. O basquetebol português tem mais rodagem em termos de equipas e condições em relação a Moçambique”, disse a poste, para depois falar da “evolução” que o basquetebol moçambicano “está a ter”. A medalha de ouro nos Jogos da CPLP, em 2016, frisou: “salientar que o basquetebol moçambicano tem evoluído imenso e isso deixa-me feliz. Porque já posso acompanhar alguns jogos que decorrem em Moçambique em minha casa em Portugal”.

Sobre a conquista do Campeonato Distrital de Lisboa, em Fevereiro, a atleta diz: “Acho que não houve segredo, para mim o maior segredo é que trabalho individual ganha jogos mas o trabalho em equipa ganha campeonatos e a minha equipa é muito unida”, destacou.

Outrossim, abordou a conquista do trofeu de melhor marcadora, bem como a indicação para o cinco ideal do Campeonato Distrital de Lisboa. “Bem, estou feliz sendo que é o meu primeiro ano no escalão sub-19, a jogar com pessoas mais velhas que eu e ganhar estes troféus. Isto é uma prova de que o trabalho compensa”.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos