O País – A verdade como notícia

Cerca de oito mil pessoas ainda não tomaram segunda dose da vacina contra COVID-19 em Maputo

Pouco mais de oito mil das cerca de 44 mil pessoas previstas ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a COVID-19, referente à segunda fase, na cidade de Maputo. A vacinação que terminava ontem foi estendida para dia 17 do mês corrente.

Era esta quarta-feira, 14 de Julho, o derradeiro dia da segunda dose da segunda fase da campanha de vacinação contra a COVID-19, mas os números mostram que as metas estabelecidas para este período falharam e obrigaram ao prolongamento da imunização para este sábado, 17 de Julho. Pouco mais de oito mil pessoas ainda não receberam o imunizante.

“Estendemos um pouco mais o processo da segunda dose, porque nós temos uma meta de 44 mil por vacinar e, até agora, conseguimos vacinar 35 mil, o que perfaz 79 por cento. O nosso objectivo é atingir 100 por cento da nossa meta”, revelou Ramine Falume, chefe de departamento de Saúde Pública na cidade de Maputo.

Num mar de factores, que podem ter contribuído para o incumprimento das metas de pessoas por vacinar na cidade de Maputo, está a deslocação dos grupos-alvo abrangidos para outros pontos do país e as autoridades da Saúde asseguram que tal não deve constituir entrave.

“Não importa. Basta ter um cartão. Podem aproximar-se a um posto ou um centro de vacinação na cidade onde eles estiverem, não terá problemas, eles podem vacinar. Também queria dizer às pessoas que a primeira dose que eles fizeram não garante a imunidade total e, para isso acontecer, a pessoa tem de fazer as duas doses completas”, exortou Ramine Falume.

O Hospital Geral de Mavalane é um dos postos de vacinação na capital do país e tinha como meta, para esta segunda dose, 2.290 pessoas, sendo que só conseguiu, até agora, imunizar 1.820. Para alcançar o remanescente, está a recorrer a várias plataformas.

“Esse é o nosso papel, porque há quem recebeu o cartão e guardou sem se recordar da data da segunda dose, por isso temos a missão de fazer a sensibilização via mensagem, assim como através das redes sociais”, apontou Laurinda Lampião Paulo, responsável pelo posto.

O Centro de Saúde da Malhangalene também está com metas de vacinação tremidas. “O nosso grupo-alvo na primeira dose foi de 13.074 e, neste momento, vacinámos 10.589 e estamos com 81 por cento de cobertura”, deu a conhecer Isabel Lampião, directora distrital de Saúde Pública no KaPfumo.

Em todo o país, a previsão é que sejam imunizadas, nesta segunda dose da campanha de vacinação contra a COVID-19, cerca de 250 mil pessoas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos