O País – A verdade como notícia

Cerca de 1500 raparigas desistiram de estudar em 2017

As causas das desistências das cerca de 1500 meninas, em 2017, são os casamentos prematuros. A informação foi partilhada hoje, pelo director de assuntos transversais no Ministério da Educação, Ivaldo Quincardete, durante o lançamento do projecto STAR-G, que tem como principal objectivo melhorar a qualidade de vida da rapariga e garantir o acesso à educação.

Com um investimento de cerca de 14 milhões de dólares para quatro anos, o projecto será implementado nas províncias de Tete, Manica e Gaza.

No vento, esteve o director-geral da Save The Children, Chance Briggs, quem disse que STAR-G é continuação de um outro projecto que iniciou em 2017 e os locais da implementação foram escolhidas pelo governo e doadores.

Durante os quatro anos de implementação, prevê-se que o projecto beneficie mais de 15.500 raparigas de 140 escolas primárias e 35 secundárias das províncias de Tete, Manica e Gaza.

 

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos