O País – A verdade como notícia

Centro Técnico Nacional vai surgir no Zimpeto em breve

O Secretário de Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, procedeu a entrega de 10 hectares do Complexo Desportivo do Zimpeto à Federação Moçambicana de Futebol, para a construção de um Centro Técnico, com o objectivo de lapidar, potencializar e profissionalizar o futebol moçambicano.

No espaço, serão erguidos campos de futebol, piscinas, pavilhão multiusos e dois hotéis, que vão servir ao desporto moçambicano, em particular o futebol

O acto marcou o fim do processo da troca de instalações entre a Secretaria de Estado do Desporto e a Federação Moçambicana de Futebol, que iniciou com a cedência da Academia Mário Esteves Coluna ao Governo, para ser gerido pelo Comité Olímpico de Moçambique na formação de talentos das várias modalidades olímpicas, incluindo o futebol.

Esta quarta-feira, foi a vez da Secretaria de Estado do Desporto ceder parte dos espaços do Complexo Desportivo do Zimpeto, onde está erguido o Estádio Nacional do Zimpeto, para a Federação Moçambicana de Futebol, que pretende construir um Centro Técnico Nacional de procura de talentos desportivos para alimentar as selecções nacionais de futebol a médio e longo prazo.

Ao todo, são 10 hectares da parte traseira do Estádio Nacional do Zimpeto, onde se pretende construir várias infra-estruturas divididas em três lotes.

O primeiro lote vai compreender dois campos de relva sintética, lojas de conveniências para venda de símbolos desportivos das selecções nacionais e da Casa do Futebol e um estacionamento.

O segundo lote está reservado aos atletas, onde terão espaços de lazer e, neste lote, serão construídas duas piscinas e vai incluir locais para eventos, conferências, área administrativa e dois hotéis de três e quatro estrelas. Haverá ainda um espaço para um campo de ténis. Ao todo, este lote será de 15 mil metros quadrados.

Por fim, o lote três terá dois campos de treinos com dimensões standard, sendo um de relva natural e outro sintético. Aqui, será levantado, ainda, um campo para futebol de praia e um pavilhão multiuso para basquetebol, futsal e outras modalidades de salão.

Este empreendimento está orçado em cerca de seis milhões de dólares, perto de 360 milhões de meticais.

De acordo com o presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat, o arranque está previsto para dentro de três semanas com o lançamento do concurso público para a colocação da relva sintética e vedação do primeiro campo, esperando-se que, em seis meses, já se tenha algo mais visível e que marque o início do uso dos espaços.

 

PROJECTO QUE VAI COLOCAR O PAÍS ENTRE OS MELHORES NA FORMAÇÃO

Feizal Sidat explicou que o principal objectivo deste empreendimento é colocar o país num patamar elevado em que pode ombrear com outros países em matérias de formação de jogadores que possam alimentar as selecções nacionais no futuro.

“Com este projecto, estaremos a dar um passo gigantesco rumo à modernização do nosso património desportivo, ao conceito da profissionalização dos nossos métodos de trabalho, assim como ao enquadramento do nosso futebol no contexto internacional. Neste contexto, o novo Centro Técnico servirá, inteiramente, o futebol, não só de alto rendimento, mas também as selecções nacionais de base, sendo, portanto, uma mais-valia para o país”, disse Sidat que pretende ainda dar resposta às expectativas dos seus parceiros (FIFA e Governo), através da implantação de um centro técnico nacional dotado das melhores condições para o desenvolvimento dos atletas e selecções, de preferência, próximo ao Estádio Nacional.

“Estamos cientes de que este projecto é bastante ambicioso e temos consciência do enorme desafio que enfrentaremos na implementação do mesmo. No entanto, não nos curvaremos perante as dificuldades e continuaremos a dar o nosso melhor para o desenvolvimento do futebol em Moçambique”, vincou o presidente da Federação Moçambicana de Futebol.

Ademais, de acordo com o próprio Sidat, o investimento em infra-estruturas desportivas foi um dos compromissos que assumiu aquando do seu manifesto eleitoral, “porque acreditamos que este é um pilar fundamental para o desenvolvimento do futebol”, daí empenhar-se em dotar as Associações Provinciais de infra-estruturas modernizadas e adequadas.

Para o dirigente federativo do futebol moçambicano, “um centro técnico desta envergadura ajudará a desenvolver o futebol local, formar diferentes agentes desportivos (como treinadores e árbitros de futebol), potenciar a prática de diferentes modalidade e actividades no mesmo local, o que facilitará também a emersão de mais jovens jogadores, criando o ambiente perfeito para identificar e moldar os talentos de amanhã”, mas também impulsionará o rendimento dos atletas e garantirá configurações ideais de treinamento, acompanhados de perto pelo Director Técnico Nacional, gerando os resultados esperados e permitindo que os atletas alcancem a elite do futebol.

Este é um projecto a longo prazo cujos frutos serão colhidos pelas gerações futuras, “uma vez que estamos aqui a preparar os alicerces para o futuro”.

 

MOMENTO DE FAZER REFLEXÃO SOBRE O FUTURO DO NOSSO DESPORTO

Por seu turno, o Secretário de Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, assume que este foi o momento ideal para a implementação deste projecto. Aliás, “este é o primeiro passo para a revitalização do desporto que vai permitir que os resultados apareçam e para a formação de atletas de eleição”, segundo a convicção de Gilberto Mendes.

Para este, o memorando, ora assinado, vem num momento em que se deve fazer uma reflexão sobre o que se quer do nosso desporto e a resposta é que isso só acontece com instalações adequadas para a formação do atleta, como a Academia da Namaacha. Isso irá ajudar a descobrir mais atletas de gabarito internacional, como Lurdes Mutola, Chiquinho Conde, Dário Monteiro e outros. “Em Namaacha, vamos produzir muitas Lurdes Mutolas”, vaticina Gilberto Mendes.

Para o caso do Centro Técnico Nacional, Gilberto Mendes espera ver “uma catedral que possa lapidar de forma metódica e usando a ciência do que precisamos para o futuro do nosso futebol e seguirmos o objectivo traçado por Arnaldo Salvado de levar o país a uma fase final do Mundial até 2030”.

“Nasce aqui um centro que vai dar um futuro promissor ao nosso desporto”, disse Gilberto Mendes que espera a breve trecho voltar a chamar a Federação Moçambicana de Futebol para entregar o Estádio Nacional do Zimpeto para a sua gestão, afinal “não é tarefa do estado zelar pelos campos, apenas constrói e entrada as federações”.

Por fim, Gilberto Mendes espera que todos os desportistas saiam a ganhar com mais uma infra-estrutura de qualidade e que as outras federações, que receberam espaços no Complexo Desportivo do Zimpeto, casos do Ténis, de Judô e do Boxe, possam colocar os seus planos em marcha para que os bons resultados sejam alcançados nessas modalidades e que tragam alegrias aos moçambicanos.

Os presentes também se mostraram satisfeitos com o projecto e esperam que possa trazer bons resultados no futuro.

Estiveram presentes no acto quadros da Secretaria de Estado do Desporto, da Federação Moçambicana de Futebol e de outras federações, para além de desportistas que foram testemunhar o projecto do organismo que tutela o futebol moçambicano.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos