O País – A verdade como notícia

CCBM projecta ciclo de cinema inspirador

Hoje arrancou o pequeno ciclo de cinema brasileiro, no Centro Cultural Brasil Moçambique (CCBM), na cidade de Maputo. Durante três dias, sempre a partir das 18h30, serão exibidos, naquele espaço, obras cinematográficas que retratam determinados contornos do universo artístico. Com os três filmes seleccionados, disse Jorge Dias, director do CCBM, pretende-se apostar num certo tipo de cinema capaz de inspirar as pessoas, mostrando-as que o sucesso, na arte, depende de uma entrega e compromisso.

A projecção do pequeno ciclo de cinema brasileiro iniciou com o filme Elis, que retrata a vida de Elis Regina, considerada a maior cantora brasileira de todos os tempos. De igual modo, dirigido por Hugo Prata e produzido por Fabio Zavala, o filme reconstrói o percurso de Elis Regina desde quando começou a carreira aos 18 anos de idade, mudando-se de Porto Alegre para Rio de Janeiro, até o auge de seu sucesso, que ultrapassou as fronteiras brasileiras, sem deixar de lado a sua grandiosa e meteórica ascensão na música, assim como o peso da fama, atribuídos a uma vida pessoal conturbada, que a perseguiram até à sua fatídica morte, na sequência de uma overdose.

Amanhã à noite, o filme escolhido para exibição é Das nuvens pra baixo, inspirado nos diários de Carolina Maria de Jesus publicados no início da década de 1960, quando pela primeira vez na história do Brasil uma favelada escreveu sobre seu quotidiano. O filme de 2015 tem direcção de Marco Antonio Gonçalves e Eliska Altmann.

Por fim, na quarta-feira, o filme que será exibido será Gonzaga: de pai pra filho. Neste enredo, decidido a mudar seu destino, Gonzaga sai de casa jovem e segue para cidade grande em busca de novos horizontes e para apagar uma tristeza amorosa. Lá, ele conhece uma bela mulher, Odaléia (Nanda Costa), por quem se encanta. Após o nascimento do filho e complicações de saúde da esposa, ele decide voltar para a estrada para garantir os estudos e um futuro melhor para o herdeiro. Para isso, deixa o pequeno aos cuidados de amigos no Rio de Janeiro e sai pelo Brasil afora. Só não imaginava que essa distância entre eles faria crescer uma complicada relação, potencializada pelas personalidades fortes de ambos. Baseada em conversas realizadas entre pai e filho, essa é a história do cantor e sanfoneiro Luiz Gonzaga, também conhecido como O Rei do Baião ou Gonzagão, e de seu filho, popularmente chamado de Gonzaguinha.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos