O País – A verdade como notícia

Carlos Manuel atira a toalha ao chão no comando do Têxtil de Púnguè

O treinador do Têxtil de Púnguè, Carlos Manuel, conhecido nos meandros futebolísticos por Caló, apresentou sua carta de demissão junto à direcção da colectividade do Chiveve, alegadamente devido a problemas internos que afectam o trabalho por si desenvolvido na equipa. O pedido de Caló já está na posse do presidente da direcção dos “fabris” da Manga, estando apenas a espera de uma resposta favorável desta.

A confirmação do pedido de demissão foi feita pelo próprio Carlos Manuel, no final do jogo desta quarta-feira em que a sua equipa voltou a sucumbir no Moçambola 2019, desta feita diante do Maxaquene, por duas bolas a uma, numa partida em que até esteve a vencer.

“Efectivamente enderecei uma carta a direcção do clube a manifestar o desejo de colocar meu lugar à disposição, dada a uma série de problemas que existem dentro da colectividade, que não interessa aqui frisar, porque penso que são da responsabilidade da direcção pronunciar-se se assim o quiser”, disse Caló que diz assumir as responsabilidades que tem dentro da colectividade, o que faz com que “não tendo a resposta da carta que meti, não tenho que ficar em casa sem trabalhar, tenho que trabalhar e esperar que a direcção responda favorável ou desfavoravelmente”.

Caló diz que só depois do pronunciamento da direcção da colectividade fabril “podemos ver o que vai acontecer em relação ao futuro”, reiterando que ”confirmo efectivamente que a carta de pedido de demissão está na posse da direcção e esta terá que se pronunciar nos próximos dias”.

Caso a direcção do têxtil de Púnguè não responda favoravelmente à carta de Carlos Manuel, o treinador diz que “nessa altura poderei pensar naquilo que farei, porque na carta que submeti a direcção há determinados condicionalismos que também condicionam a minha paragem”, preferindo não se pronunciar em relação aos tais condicionalismos. Mas assegura que caso a direcção não se pronuncie, “poderei tomar um posicionamento que não posso dizer agora qual é porque neste momento não estou preparado para o fazer”, clarificou.

 

Equipa está bem só não tem resultados positivos

Entretanto, Carlos Manuel falou do estágio da equipa que não consegue sair da última posição em que se encontra. Para o técnico, o que está a falhar no Têxtil de Púnguè “são os resultados, que não estão a aparecer, por isso que a equipa encontra-se nesta incomoda última posição”. Mas Caló garante que todos os dias tem estado a trabalhar no sentido de tirar a equipa da posição em que se encontra: “prova disso é a forma como a equipa tem se batido em todos os jogos em que se encontra. Mas é visível que o trabalho que estamos a desenvolver não é positivo porque não estamos a ganhar, mas é notório pelo facto de como a equipa se bate, tanto fora como dentro de casa a equipa consegue marcar golos” referiu o técnico que lamentou o facto de “não estarmos a conseguir atingir os objectivos que nos trouxe aqui, que é de garantir a manutenção”.

Ainda assim, promete continuar a trabalhar por forma a alcançar vitórias, a começar já no jogo diante da Liga Desportiva de Maputo. “Há pouco tempo para preparar o jogo, uma vez que só teremos a sexta-feira e o sábado para preparar esse jogo. Vamos essencialmente recuperar os jogadores, mais a nível psicológico, porque uma equipa que não ganha tem alguns efeitos de natureza psicológica, então vamos trabalhar mais a nível psicológico e recuperar os jogadores para preparar este jogo que é mais um jogo que, efectivamente, precisamos de ganhar” disse a terminar o técnico demissionário.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos