O País – A verdade como notícia

Carla Covane em destaque na Espanha

Fotos: GDKO Bizkaia

Há, sem sombra de dúvidas, muito por explorar para que Moçambique volte a atacar os lugares de pódio em África. Desde que, num trabalho aturado de “scouting” dos activos espalhados em várias ligas, sejam identificados atempadamente os valores que podem representar o país em provas de grande dimensão. É assim que fez a Nigéria, tricampeã africana. É o caminho que seguiu o Senegal, país com mais “Afrobaskets” conquistados na história da prova:

O que é certo é que, nos EUA, Bulgária, Espanha, Portugal, entre outros países por identificar, há atletas que podem, e como, acrescentar grande valor a selecção nacional. Na segunda divisão da Espanha, Liga Feminina 2, conhecida por LF2, prova que qualifica para a Liga Endesa (prova principal onde jogam Tamara Seda e Leia Dongue) evolui uma moçambicana que está a dar cartas. Trata-se de Carla Covane, poste que há bem pouco tempo evoluiu no basquetebol collegial norte-americano: University of Cumberlands e Seward County Community College. Na sua primeira experiência no basquetebol profissional, a poste está a evoluir e mostrar serviço no GDKO Bizkaia. A 8 de Janeiro, Carla Covane esteve perto de um duplo-duplo (13 pontos e sete ressaltos dos quais cinco defensivos e dois ofensivos) na derrota da sua equipa diante do Melilla (65-56), em jogo da 13ª jornada do grupo “A” da fase regular.

Melhor cestinha, a irmã da também poste Vilma Covane concretizou 5 em 11 lançamentos de campo (45%) e 3 em 4 na linha de lances livres (75% de aproveitamento).

Covane foi secundada, nesta partida por Usua Iruskieta que contabilizou 12 pontos em 29 minutos na quadra.

No global, o conjunto da internacional basquetebolista moçambicana teve um registo de 17 em 45 lançamentos de campo (37.8%), 4 em 14 tiros exteriores (28.6%) e 10 em 15 na linha de lances livres (66.7%).

No último jogo do ano civil 2021, precisamente a 18 de Dezembro, Carla Covane contribuiu com 15 pontos e seis ressaltos defensivos na vitória do GDKO Bizkaia diante do Dela Torre, por 57-48.

Terceira classificada no “Afrobasket” 2016, no Cairo, Egipto, Covane concretizou 6 em 8 lançamentos de campo (75%) e 3 em 4 na linha de lances livres (75%) em 17 minutos na quadra.

Num jogo dramático, realizado a 11 de Dezembro, Carla Covane arrancou um duplo-duplo (10 pontos e 13 ressaltos, sendo seis ofensivos e sete defensivos), insuficiente, porém, para evitar a derrota do GDKO Bizkaia frente ao Leon (69-66).

Estes foram os seus “targets”: 2 em 12 nos lançamentos de campo (16.7%), 0 em 1 nos tiros exteriores (0%) e 6 em 8 na linha de lances livres (75%).

Covane tem uma média de 10, 2 pontos, 6, 8 ressaltos (total de 27, sendo 18 defensivos e nove ofensivos), 42.9% nos lançamentos de campo (15 em 35) e 75% na linha de lances livres (12 em 16).

O GDO Bizkaia é 14° classificado (de um total de 14 equipas) no grupo A da LF2 com um saldo de 2-10 (duas vitórias e dez derrotas), sendo que o cesto average é de 669-670.

As equipas estão divididas em dois grupos por critérios geográficos. Os quatro melhores classificados da “regular season” de cada série qualificam-se para os  “play-offs”, onde ficam agrupadas (quatro formações cada) onde as duas melhores seguem para as finais. Os vencedores das finais ascendem a Liga Endesa.

O próximo jogo de Carla Covane será a 22 de Janeiro, quando a sua equipa medir forças com o Almeria.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos