O País – A verdade como notícia

Candidatos passam à fase nacional da Taça de Moçambique

Ferroviário de Maputo venceu e convenceu o Costa do Sol por 3-1 eliminando a detentora do troféu da Taça de Moçambique, da segunda maior competição do País. O Maxaquene também disse adeus a competição, ficando agora, as duas equipas, concentradas no Moçambola 2019

Já se sabia que o jogo entre o Ferroviário de Maputo e o Costa do Sol iria arrastar muitos amantes do futebol ao velhinho Estádio da Machava, porquanto é um dos derbies mais antigos do futebol moçambicano. O bom momento atravessado pelos "canarinhos" e que contrastava com os recentes desaires dos "locomotivas", antevia um jogo bastante disputado e com o equilíbrio a ser a nota dominante. Mas desengane-se quem assim pensou, pese embora o gosto futebolístico tenha estado presente.

Diogo, aos oito minutos, foi quem abriu as hostilidades, respondendo positivamente a um cruzamento da direita. O Costa do Sol não conseguia reagir e acabou sofrendo mais um, aos 21 minutos, na marcação de uma grande penalidade bem executada por kito, que por sinal já passou pelos "canarinhos". Para fechar a primeira parte foi Kamo Kamo, o prodígio "locomotiva" a sentenciar a vitória e a confirmar a "depenação" da águia canarinha, ainda na primeira parte.

A segunda parte foi mais para controlar o resultado por parte da turma orientada por Daúde Razaque, enquanto o adversário procurava reduzir para depois tentar o empate, mas debalde. Isac acabou reduzindo, mas não evitando a derrota, que coloca o Costa do Sol fora da Taça de Moçambique e sem possibilidades de revalidar o troféu conquistado ano passado, quando derrotou o Ferroviário da Beira, na final, por claros 4-2 na marcação das grandes penalidades, após empate a um golo no tempo regulamentar.
 
Maxaquene também diz adeus
Jogando em casa, os "tricolores" foram surpreendidos pelos "guerreiros" de Gaza, e afastados da Taça de Moçambique, com derrota por uma bola sem resposta. O golo madrugador de Tchitcho, aos quatro minutos, deu a segunda vitória consecutiva a Abdul Omar a frente dos destinos dos "guerreiros" e coloca a equipa na fase nacional da Taça de Moçambique. Por outras palavras, o Clube de Chibuto veio dar o troco ao Maxaquene, depois da derrota no Moçambola.

Troco que também foi dado pelo Textáfrica de Chimoio na recepção ao Ferroviário da Beira. Os "fabris" do Planalto descarrilaram a "locomotiva" do Chiveve na sua passagem por Chimoio, depois da vitória no "caldeirão", no Moçambola 2019. Uma vingança que se serviu fria num prato de bandeja, com Escurinho e abrir, Dayo a ajudar e marcar na própria baliza, antes de Babo reduzir, sem evitar o descalabro.
 
Três jogos foram ao prolongamento
O Ferroviário de Nacala foi a Nampula derrotar o seu homónimo da capital provincial por duas bolas a uma, resultado alcançado no período de prolongamento, e que garante aos "locomotivas" de Nacala defrontarem o Baía de Pemba na finalíssima ainda por marcar. No tempo regulamentar o jogo terminou sem abertura de contagem.

Em Xinavane, o jogo até às grandes penalidades, tendo o Desportivo Maputo vencido por 4-2, depois do empate a um golo no tempo regulamentar e no prolongamento. Assim, os "açucareiros", ficam por terra, depois de terem eliminado o Desportivo da Matola pelo mesmo resultado, na passada quinta-feira, depois da greve que teve.

Energia de Songo deixa "locomotiva" de Quelimane fora dos caris
Em Songo houve goleada das antigas! A União Desportiva de Songo recebeu e cilindrou (sem dó nem piedade) o Ferroviário de Quelimane, por claros e concludentes 7-0. Mário Sinamunda, com um hat-trick, Frank Banda, com um bis, John Banda e Luís Miquissone foram os autores dos golos.

A goleada começou a ser projectada ainda aos 13 minutos por Frank Banda, antes de Mário Sinamunda marcar dois golos, aos 17 e 27 minutos, respectivamente, para depois ser John Banda a fechar as contas da primeira parte. No reatamento, Frank bisou aos 64 minutos e já numa altura em que os "hidroeléctricos" abrandavam a marcha, não conseguiam ter nenhuma reacção do Ferroviário de Quelimane já resignado. Foi assim que os treinados por Nacir Armando ainda marcaram mais dois golos, por Mário Sinamunda aos 60 minutos e por Luís Miquissone, aos 86, a fechar as contas da goleada.

Recorde-se que o Baía de Pemba qualificou-se para a finalíssima da zona norte após a desistência do Ferroviário de Lichinga do regional.
 
 
Zona Sul
Maxaquene Maputo         0-1           Clube de Chibuto
Ferroviário Maputo           3-1           Costa do Sol Maputo
Incomati Xinavane            (2)1-1(4)   Desportivo Maputo (penalidades)
Assoc. Black Bulls Maputo                2-0           Ferroviario de Inhambane
 
Zona Centro
Feroviario de Moatize       (4)0-0(5)   LD Sofala (penalidades)
Textafrica de Chimoio       2-1           Ferroviario da Beira
Uniao Desportiva de Songo             7-0           Ferroviario de Quelimane
 
Zona Norte
Baia de Pemba FC*            –               Ferroviario de Lichinga
Fer. Nampula                      1-2           Fer. Nacala (prolongamento)
 
* Baía de Pemba qualificado depois da desistência do Fer. Lichinga

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos