O País – A verdade como notícia

Cancro mata cerca de 17 mil pessoas por ano no país

A ida tardia dos pacientes aos hospitais constitui um dos grandes desafios no combate ao cancro no país. A constatação foi feita, hoje, pela primeira-dama durante o lançamento da campanha nacional contra o cancro.

Para simbolizar o lançamento da campanha de sensibilização contra esta doença que já constitui uma preocupação de saúde pública, a primeira-dama visitou e interagiu com crianças internadas no Hospital Central de Maputo. Na ocasião, Isaura Nyusi ofereceu presentes aos petizes.

Anualmente, o país regista cerca de 20 mil casos da doença em adultos e crianças, que resultam em cerca de 17 mil mortes. A directora da unidade de Hemato-Oncologia pediátrica defendeu o aumento de profissionais e equipamento hospitalar.

Depois de visitar as crianças, Isaura Nyusi defendeu que se deve trabalhar na sensibilização para reduzir as mortes por esta doença.

A Ministra da Saúde disse que o Governo continuará a investir para acções de prevenção e combate aos diversos cancros.

Neste momento, existem 189 unidades sanitárias que fazem o rastreio do cancro no país. As autoridades consideram que a doença é agravada pelo impacto do HIV/SIDA que surge associado a vários cancros. Esta campanha enquadra-se na celebração do dia mundial de luta contra o cancro infantil que se celebra no próximo dia 15. 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos