O País – A verdade como notícia

“Canarinhos” voaram alto nesta jornada e em dose dupla

Os dois "canarinhos" que disputam o Moçambola 2019 tiveram uma jornada de luxo em que voaram alto, fora de portas, vencendo pelo mesmo resultado de 1-3. O Costa do Sol na Bela Vista e o Desportivo de Nacala em Maputo. O canário de Maputo consolidou a sua liderança na prova

Uma vitória difícil, num terreno bastante complicado e com recheio de agressão foi o que o fez o Costa do Sol, na Bela Vista, diante do Ferroviário de Nacala, para consolidar a liderança do Moçambola 2019, este domingo. A turma de Horácio Gonçalves venceu por 1-3 e quando o resultado estava ainda em 1-2 os adeptos nacalenses atiraram pedras e garrafas ao rectângulo do jogo, facto que pode levar a mais sanção da turma de Nacala por parte da Liga Moçambicana de Futebol.

O facto é que o Costa do Sol consolidou a liderança, agora com 38 pontos, mais seis que a dupla Ferroviário da Beira e União Desportiva de Songo, embora esta última tenha menos dois jogos.

Cambaco estreia-se com vitória e (des)Liga intenções de Terroso

O outro "canário" que saiu vitorioso nesta jornada é o Desportivo de Nacala, na visita à Liga Desportiva de Maputo, pelo mesmo resultado do seu homónimo (1-3), curiosamente na estreia de Antero Cambaco, no comando técnico da equipa, depois de cerca de dois meses fora do activo. Aliás, Cambaco só tinha dois dias a frente dos destinos da equipa e viu a satisfação dos jogadores pelo seu regresso reconpensado com uma vitória. Saborosa porque coloca a equipa mais longe da zona da despromoção, embora tenha agudizado ainda mais a crise de resultados da Liga Desportiva de Maputo, que vê-se mais afogada na zona da despromoção, com os mesmos 22 pontos.

Nilton Terroso diz não perceber o que está acontecer na sua equipa e que vai continuar a trabalhar para sair do sufoco, tendo em conta que esta edição do Moçambola despromove cinco equipas à divisão de honra.

Quem também sacudiu a crise de resultados, mas não consegue sair da zona do rísco é o Ferroviário de Nampula, que à tangente afundou ainda mais o Têxtil de Púnguè, ma cauda da tabela classificatica. Uma a zero foi o resultado final desse jogo que teve lugar no Estádio 25 de Junho, local que recentemente viu-se envolvido num acidente com mortes, durante a campanja eleitoral.

Os "locomotivas" de Nampula passam assim a somar 17 pontos na tabela classificativa, mais cinco que os "fabris" da Manga, cada vez mais lanternas vermelhas.

Mas quem nãi desgruda do Ferroviário de Nampula é o Baía de Pemba, que também teve a sorte da vitória nesta jornada, aliada a eficiência dos seus jogadores e a boa montagem das pedras por parte de João Chissano. Os "baianos" venceram no combate com os "guerreiros" de Gaza por 3-1 e mantém-se na cola da turma de Akil Marcelino, ambos com 17 pontos, mas ainda longe de sair da zona da despromoção.

Mesmo sem treinar e com poucos jogadores ganha-se no canavial

Algo carricato acontecido nesta jornada veio do canavial de Xinavane. O Incomáti recebeu e venceu a ENH de Vilankulo por uma bola sem resposta e reduziu a diferença pontual entre as duas equipas, agora com 28-27, ainda com vantagem para os "hidrocarbonetos".

O facto é que os "açucareiros" só tinham 15 jogadores disponíveis para o jogo e destes, apenas um guarda-redes, curiosamente convencido a realizar o jogo duas horas antes do apito inicial. Os restantes jogadores mantem a greve, agora em reclamação aos cortes salariais que tiveram após terem sido assinaladas faltas durante a greve.

Ou seja, dos jogadores que estavam no banco, depois das três substituições a que teve direito Artur Comboio, apenas um não jogou e… não era nenhum guarda-redes suplente.

Valeu pela vitória que coloca agora o Incomáti de Xinavane na oitava posição, nas vésperas da visita ao ninho do líder da prova.

Pacto de não agressão entre dois manos "locomotivas"

No embate entre dois manos, os Ferroviários da Beira e de Maputo, houve pacto de não agressão e prevaleceu a irmandade no "caldeirão" do Chiveve. O empate a um golo entre as duas "locomotivas" deixou os dois conjuntos ainda nos primeiros cinco lugares, sendo que o da Beira está na segunda posição, com 32 pontos, e o de Maputo na quarta posição, com menos um ponto. De permeio está a União Desportiva de Songo a fazer de barreira, com 32 pontos, mas com menos dois jogos.

Outro jogo que terminou empatado foi entre o Textáfrica de Chimoio e o Desportivo Maputo. O nulo prevaleceu até ao final dos 90 minutos e não mudou nada nos seus posicionamentos na tabela classificativa. Os "alvi-negros", mais próximos da zona da despromoção, vão procurar sair o mais rápido dessa zona (estão no 10° lugar) e tem um teste difícil próximo sábado, diante do Ferroviário de Maputo, no Estádio Nacional do Zimpeto.

Maxaquene vs UD Songo só daqui há um mês

Para completar esta jornada, Maxaquene e União Desportiva de Songo vão se cruzar a 23 de Outubro, mesmo devido a participação dos " hidroeléctricos" nas competições africanas, mais concretamente na Liga dos Campeões. O Maxaquene teve assim, mais tempo de descanso para preparar o próximo jogo, final de semana, enquanto a turma de Songo recebe a Liga Desportiva de Maputo, no segundo embate mais importante da [email protected] jornada.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos