O País – A verdade como notícia

“Canarinhos” derrubam águia-negra e voam alto ao título

No embate mais importante da 22ª jornada o Costa do Sol recebeu e venceu o Desportivo Maputo por uma bola sem resposta e cimentou a liderança no Moçambola 2019, agora com 45 pontos. Outro destaque da jornada é a vitória da Liga Desportiva de Maputo, no Chiveve, diante do Têxtil de Púnguè, e foge da zona da despromoção

Chico foi o herói dos “canarinhos” no dérbi da 22ª jornada entre o Costa do Sol e o Desportivo Maputo. O central da equipa de Matchiki Tchiki foi o autor do único golo que deu a vitória e a liderança mais cimentada ao Costa do Sol, contando agora com 45 pontos, mais sete que a dupla UD Songo (com menos três por jogar) e Ferroviário de Maputo, na segunda e terceira posições.

A partida entre as duas águias foi bastante electrizante, emocionante e com muito nervosismo por parte dos intervenientes, onde o contacto físico e as faltas foram a nota dominante. Aliás, o nervosismo afectou, inclusive, a equipa de arbitragem liderada por Ema Novo, que em alguns momentos não conseguia segurar o jogo para evitar situações que deixassem os jogadores, equipas técnicas e adeptos desgostosos. Tal é o lance em que Stephen comete falta sobre Sidique e, este, em desequilíbrio, pisa involuntariamente no pé do jogador “canarinho”, tendo o liberiano agredido o moçambicano, mas Ema Novo optou por mostrar o cartão amarelo aos dois jogadores envolvidos. Stephen ficou a camisola rasgada depois de uma confusão que se instalou e que envolveu os dois bancos técnicos e outros jogadores.

Em muitos lances, Ema Novo não era feliz nas suas decisões, o que deixou agastados muitos adeptos. Mas em muitos outros esteve bem, como no lance em que pedia-se golo para o Desportivo Maputo, depois da cobrança do canto, e ao não validar o golo de Hammed, depois de uma mão na bola de Peter.

Facto mesmo é que o Costa do Sol saiu vitorioso da partida e aumenta a pontuação para 45 pontos, contra 38 da União Desportiva de Songo, que tem menos três pontos, e o Ferroviário de Maputo.

 

Daúde Razaque continua sorridente

O Ferroviário de Maputo, de Daúde Razaque, continua a perseguição à liderança da prova, depois de mais uma vitória fora de portas. Desta vez foi a ENH de Vilankulo a vítima da “locomotiva” de Maputo, que cimenta a terceira posição, deixando para trás o seu homónimo da Beira. O Ferroviário de Maputo venceu por 1-2 em Vilankulo e o da Beira foi a Nacala empatar com o Desportivo local a um golo.

Depois de um empate caseiro e uma vitória fora de portas começa a perceber-se que o Ferroviário de Maputo só sabe vencer quando joga sem pressão dos seus adeptos, uma vez que foi a segunda vez consecutiva que tal acontece. E agora, diante do Costa do Sol, no sábado, em casa, como será?
Para já, a turma da Beira fica há três pontos do seu mano de Maputo e na quarta posição, atrasando nos seus objectivos.

Aly Hassane tira Liga Desportiva do sufoco
Na Liga Desportiva de Maputo há uma questão que não quer calar: era ou não problema de Nilton Terroso? Isso porque depois das seis derrotas consecutivas do técnico português, com Aly Hassane no comando, a Liga Desportiva de Maputo só sabe vencer.

Depois do Clube de Chibuto, a vítima da Liga Desportiva de Maputo foi o Têxtil de Púnguè, do demissionário, mas ainda em exercício, Carlos Manuel. Uma vitória da Liga Desportiva de Maputo que agudiza a crise de resultados e quase que relega os “fabris” da Manga de volta a divisão de honra, na zona centro.

A Liga Desportiva descola do Maxaquene e sobe para a 11ª posição, em troca com Ferroviário de Nacala, que desce para a zona da despromoção. A turma de Hanhane conta com 28 pontos, mais um que os “locomotivas” de Nacala, que foram empatar na “trincheira” diante do Clube de Chibuto a um golo, e mais dois que os “tricolores”, que também empataram, mas sem abertura de contagem, na deslocação a Nampula, diante do Ferroviário local. Um Ferroviário de Nampula que também está na zona da despromoção, a olhar o espectro da descida de divisão assolar a sua estação.

 

Baía de Pemba vence de revira-volta

Ainda que longe de sair da zona da despromoção, mas com horizonte promissor está o Baía de Pemba, que voltou a sorrir nesta jornada, na recepção ao Textáfrica do Chimoio. Os “baianos” viram a turma de Manica abrir o activo, mas rapidamente correu atrás do prejuízo e chegou a empatar e passar para frente do marcador. Os “fabris” do Planalto também reagiram e fizeram o 2-2 com que se chegou ao minuto 90, mas no tempo da compensação, Yeye deu a vitória ao Baía de Pemba, que faz com que a equipa se aproxime do Ferroviário de Nampula, actual 14ª classificado, sendo a diferença de pontos de apenas 3 (24-21), a maior para os verde-e-branco.

 

Três vencedores na 22ª jornada

De resto, a jornada teve três grandes vencedores, nomeadamente o Costa do Sol, que cimentou a liderança do Moçambola, o Ferroviário de Maputo, que venceu fora de portas e aproximou-se dos lugares cimeiros, e a Liga Desportiva de Maputo, que venceu, também fora, e saiu da zona da despromoção.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos