O País – A verdade como notícia

CAN-2021: Selecções devem ter um mínimo de 11 jogadores com teste negativo para COVID-19

Fotos: CAF

As selecções nacionais, participantes na Taça das Nações Africanas (CAN-2021), são obrigadas a ir a jogo desde que tenham um mínimo de 11 jogadores com teste negativo para o novo coronavírus, anunciou a organização.

Mesmo que não haja um guarda-redes disponível, um jogador de campo deve ocupar o lugar na baliza, para que o jogo possa ser realizado, desde que haja um total de 11 jogadores, referem os promotores do CAN-2021, prova que decorre nos Camarões desde o passado domingo até dia 6 de Fevereiro.

“Uma equipa que não tiver um mínimo de 11 jogadores disponíveis para o jogo será considerada como tendo perdido a partida por 0-2”, referem os organizadores do CAN-2021, numa actualização dos regulamentos para contornar possíveis adiamentos de jogos por conta da COVID-19.

O comité organizador, perante os casos crescentes de infecções com o novo Coronavírus entre as selecções presentes nos Camarões para a presente edição do CAN, reserva o direito de “tomar uma decisão apropriada” em “casos excepcionais” para dirimir situações mais críticas.

Desde o início da competição são muitas as selecções que têm estado na máxima força devido a infecções dos jogadores, treinadores, staff e outros membros da delegação, tal como aconteceu com Cabo Verde, Guiné-Bissau, Malawi e Senegal.

 

EQUIPAS DA REGIÃO ENTRAM A PERDER NO CAN DOS CAMARÕES

As duas selecções da região austral de África, presentes no Campeonato Africano das Nações, entraram com pé esquerdo na prova, ao sofrer derrotas na jornada inaugural, ambas pelo mesmo resultado de 0-1.

O primeiro a perder foi o Zimbabwe, esta segunda-feira, diante do Senegal, por uma bola sem resposta, com o único golo a ser apontado para lá do tempo regulamentar, ou seja, aos 90+7 minutos, através da marca da grande penalidade apontada por Sadio Mané.

Mais tarde, na mesma segunda-feira, foi a vez de o Malawi também vergar, diante da Guiné Conacri também por 1-0, em jogo da primeira jornada do Grupo B, disputado no Estádio Koueking de Bafoussam, nos Camarões.

O único golo guineense foi inscrito por Issiaga Sylla, aos 36 minutos da partida, permitindo a este país juntar-se ao Senegal na liderança do grupo B.

No final desta primeira jornada do grupo B, a hierarquia foi respeitada, com as equipas favoritas, o Senegal e a Guiné Conacri a imporem-se logicamente, devendo, no entanto, defrontar-se sexta-feira próxima, 14 de Janeiro, para um jogo que se anuncia decisivo para o primeiro lugar.

As duas equipas têm três pontos cada, ao passo que os perdedores do dia, designadamente o Zimbabwe e o Malawi, partilham o último lugar do grupo, sem nenhum ponto.

 

PROGRAMA DE JOGOS DO CAN-2021

Terça-feira, 11 de Janeiro

Grupo E: Argélia               –        Serra Leoa

Grupo D: Nigéria              –        Egipto

Grupo D: Sudão               –        Guiné-Bissau

 

Quarta-feira, 12 de Janeiro

Grupo F: Tunísia               15h00 Mali

Grupo F: Mauritânia                   18h00 Gâmbia

Grupo E: Guiné-Equatorial 21h00 Costa do Marfim

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos