O País – A verdade como notícia

Camião com carga fere duas pessoas e destrói ponte na cidade da Beira

Um acidente de viação destruiu uma ponte pedonal na cidade da Beira e causou dois feridos e avultados danos materiais numa viatura ligeira.

A Administração Nacional de Estrada (ANE) fala de um prejuízo avaliado em cerca de seis milhões de meticais, que deverão ser desembolsados pela empresa responsável pelo acidente.

O sinistro deu-se por volta das 18 horas deste sábado, quando um camião embateu na ponte pedonal, no bairro da Munhava, cidade da Beira, na Estrada Nacional número seis (EN6).

A ponte não resistiu ao embate e parte dela caiu sobre uma viatura, que seguia no sentido oposto. Os ocupantes da viatura ficaram ligeiramente feridos.

A altura máxima da ponte era de cinco metros e a do camião, que originou o acidente, incluindo a carga, era de seis metros e meio. O motorista reconhece que foi negligente, pois não tinha domínio sobre a carga que transportava.

“Reconheço que fui negligente. Fiz-me ao volante e, como a distância a percorrer é de menos de cinco quilómetros, não me preocupei com a altura da viatura. Transportava um camião novo e recebi orientações do meu patronato para ir deixá-lo no parque. Infelizmente, houve este embate que criou danos muito elevados”, explicou o motorista.

De acordo com a Polícia de Trânsito, o motorista ou dono da carga são culpados, pois deveriam, de acordo com as regras para cargas com dimensões anormais, entrar em contacto com a ANE, INATRO e PRM para assegurarem a sua movimentação.

“São procedimentos normais e de conhecimento de todos os transportadores. Neste caso, não houve nenhum gesto por parte da empresa e o resultado é este. É uma atitude muito lamentável e são actos como estes, violação das regras rodoviárias, que têm contribuído para o elevado índice de acidentes em Sofala e não só”, lamentou Cassimo Ali, chefe do Departamento da Polícia de Trânsito em Sofala.

Para a ANE, é fundamental que se observem com rigor todas as regras de segurança rodoviária para se evitarem danos humanos e materiais.

“Temos um prejuízo que está acima de seis milhões de meticais, que a empresa que causou o dano poderia evitar. Infelizmente, eles deverão arcar com todas as despesas para a aquisição da nova ponte, assim como para a sua montagem; deverão pagar uma multa pelo facto de não terem cumprido as regras rodoviárias. Reiteramos o apelo para o cumprimento rigoroso das regras de trânsito para evitar danos humanos e materiais”, recomendou António Devesse, delegado da ANE em Sofala.

Refira-se que a EN6 está concessionada a REVIMO que, neste momento, está a fazer o levantamento dos danos.

A ponte pedonal foi removida na noite deste sábado, para garantir a circulação de pessoas e bens.

A rodovia ficou interrompida por cerca de quatro horas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos