O País – A verdade como notícia

CAF tira jogos da cidade da Beira para Maputo e deixa Chiveve em desespero

Um verdadeiro balde de a água fria sobre o Chiveve! Contrariamente ao que se esperava, o Ferroviário da Beira não vai receber o seu adversário da 2ª jornada da Liga dos Campeões no seu campo, no próximo dia 23. A informação foi confirmada, na última sexta-feira, pela Federação Moçambicana de Futebol (FMF), durante uma conferência de imprensa realizada para o efeito. Porque era uma informação que já vinha sendo difundida pelas redes sociais, o organismo começou por se distanciar das informações postas a circular, segundo as quais a FMF teve influência nessa alteração. “Temos estado a ouvir que a Federação teria informado a CAF (Confederação Africana de Futebol) que o jogo deveria ser realizado em Maputo, no Estádio Nacional do Zimpeto, o que não constitui verdade. Esta é uma competição exclusiva da CAF e é ela que toma das decisões e estabelece as regras”, justificou-se o organismo na voz de Filipe Johane, seu Secretário-Geral.  

FMF diz que Ferroviário da Beira não se preocupou com regulamentos  

A FMF atira a culpa do sucedido à direcção do clube, pois o mesmo não se preocupou e nem observou os regulamentos da competição, facto que fez com que enviasse tardiamente a solicitação da inspeção do seu campo. “Ontem (quinta-feira dia 4) recebemos a notificação da marcação do primeiro e segundo jogo (referente a primeira e segunda jornada). E os regulamentos da CAF estabelecem que os jogos são marcados com uma antecedência de 21 dias. Se formos a ver aquele organismo agiu dentro do período estabelecido pelos regulamentos. Quanto ao Ferroviário da Beira, no dia três deste mês (quarta-feira) recebemos a carta do clube a solicitar a inspeção do campo para o dia 10 deste mês. No dia seguinte, isto , no dia 4 enviamos essa solicitação a CAF para que possa enviar o pessoal para a respectiva vistoria. Entretanto, até neste momento não tivemos nenhuma resposta. Mas é de se notar que no dia em que a carta do clube à Federação, já está dentro dos 21 dias estabelecidos pela CAF. Achamos nós que se vendo sem solução, o organismo acabou por escolher o Estádio Nacional do Zimpeto, o campo alternativo escolhido pela equipa”, detalhou Filipe Johane, que depois disse que a Federação fez a questão de fazer pressão ao clube para o cumprimento dos prazos. “Por várias vezes interagimos com o clube. Aliás, mandamos os regulamentos paras as duas equipas (União Desportiva de Songo – Taça Nelson Mandela – e Ferroviário da Beira – Liga dos Campeões Africanos) que se apuraram para às Afrotaças. Ademais, voltamos a enviar os regulamentos para esta equipa, quando se apurou para a fase de grupos da competição”, defendeu-se.

A Federação reconhece os constrangimentos e recomenda envolvimento de todos no apoio à equipa. Na fase de grupos da Liga dos Campões Africanos, o Ferroviário da Beira terá de realizar seis jogos, sendo três em casa e outros três fora de portas. O que quer dizer que caso tudo esteja nos conformes com o seu campo, o Ferroviário da Beira ainda tem a possibilidade de realizar dois jogos no seu relvado.

De lembrar que os campeões nacionais entram em cena já no dia 12 deste mês, quando defrontarem o Etoile du Sahel na Tunísia, em jogo da primeira jornada. Dias depois, já a 23 de Maio, irão receber, em Maputo, o El Hilal Club do Sudão, em jogo da segunda jornada.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos