O País – A verdade como notícia

Caçador detido por matar e esconder corpo do seu colega numa ilha

Trata-se de José Sanguiza caçador que baleou mortalmente  seu colega numa mata localizada nas proximidades da vila sede distrital de Caia, província central de Sofala.
 
Tudo começa quando o caçador e dois de seus colegas decidiram sair a caça. Chegados a mata, José Sanguiza conta que terá visto um hipopótamo a alguns metros em sua frente. De seguida disparou alegando que teria supostamente morto o animal e por isso tratou de avisar um dos seus colegas, o João Gôndola.
 
Gôndola disse ao amigo caçador que não se tratava de hipopótamo mas do colega que juntos estavam a caçar. Momentos depois, o mesmo Sanguiza pega na arma e tenta atirar contra João Gôndola na perspectiva do assunto não ser tornado público.
 
Felizmente depois de muita luta Gôndola consegue arrancar a arma e de seguida foge para a vila sede distrital. Ora no local do crime, José Sanguiza pegou no corpo do malogrado e escondeu. Dias mais tarde depois do assunto ser levado a polícia, a corporação tratou de investigar e por isso viriam a encontrar o corpo em estado avançado de decomposição na mata onde ocorreu o crime.
 
O caçador assassino foi detido e encontra-se neste momento a ver o sol aos quadradinhos nas selas do comando distrital enquanto decorre instruções criminais para responder na justiça.
 
"Das investigações feitas, o José Sanguiza disparou intencionalmente contra o seu amigo. Veja que a polícia sabe através de trabalho apurado que o assassino era amante da esposa do malogrado e que o baleamento mortal pode ser por questões passionais" disse Jevite Wazoe membro da PRM no distrito de Caia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos