O País – A verdade como notícia

Beni Chaúque desenvolve sistema de tratamento de água no Brasil

Beni Chaúque é pesquisador e desenvolveu um sistema de tratamento de água com recurso à luz solar, no Brasil. O sistema consegue processar um litro de água a cada 90 segundos, o que significa que é rápido, barato e eficaz, pois o sistema convencional faz o mesmo processo em seis horas.

A água é imprescindível para o homem e para o planeta em geral. No entanto, um terço da população mundial não tem acesso à água potável. A fim de contribuir para alterar este quadro preocupante, que muito contribui para morte de milhões de pessoas em todo mundo, por doenças intestinais ou relacionadas ao consumo de água com péssima qualidade, Beni Cháuque resolveu desenvolver um sistema de desinfecção do líquido precioso através da luz solar. Na verdade, a ideia de produzir o sistema surgiu quando o pesquisador ainda se encontrava em Moçambique, em 2017, porém, nessa altura, a montagem do aparelho não teve o sucesso desejado. No ano seguinte, o pesquisador conseguiu uma bolsa de estudo para o Brasil e foi lá onde demonstrou que o sistema é rápido, barato e eficaz.

No Brasil, depois de ter compreendido as razões de o aparelho não ter correspondido às suas aspirações, o pesquisador apostou na radiação ultravioleta e infravermelha para matar micro-organismos prejudiciais à saúde na água. E Beni Chaúque argumenta: “Nós pensamos em utilizar a radiação solar uma vez que o sol é uma fonte disponível e gratuita de energia que pode ser aproveitado, já que os sistemas convencionais de tratamento de água são caros, desde a sua instalação e funcionamento, além de mão-de-obra especializada”.

Assim sendo, Beni Chaúque considera que o facto de os sistemas convencionais de tratamento de água serem onerosos contribui para que os países subdesenvolvidos tenham dificuldades de garantir o líquido às populações. Logo, considerando que a maior parte da população dos países subdesenvolvidos, incluindo Moçambique, encontra-se na zona rural, Beni Chaúque defende a utilização de formas alternativas de processamento de água potável.

Portanto, o sistema montado por Beni Chaúque utiliza exclusivamente a radiação solar, reduzindo o preço de água, pois a técnica de manuseamento e manutenção é simples, capaz de ser instalado facilmente nas zonas recônditas mesmo sem energia eléctrica. Além disso, a grande vantagem que o pesquisador sublinha é a eficácia: “Nós precisamos inevitavelmente de tecnologia de baixo custo e que permite dar água segura às pessoas. Este sistema é capaz de eliminar micro-organismos altamente resistentes, além de bactérias”.

Não obstante, com o sistema de tratamento por si criado, o objectivo do pesquisador moçambicano é proporcionar uma proposta de solução para o problema de abastecimento de água, de forma segura, principalmente nos espaços mais vulneráveis a doenças resultantes do consumo de água imprópria.

Um aspecto importante. Enquanto o sistema convencional precisa de seis horas para tratar um litro de água, num dia com sol, o desenvolvido por Beni Chaúque precisa de 90 segundos.

Beni Chaúque desenvolveu o sistema de tratamento solar de água como requisito para a conclusão do curso de mestrado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Brasil. O Sistema foi montado em seis meses, um ano depois de ter sido iniciado quando o pesquisador trabalhava na Universidade Rovuma, na Província de Niassa.

Beni Chaúque nasceu em Messica, em Manica, há 34 anos. Neste momento, está a doutorar-se no Brasil.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos