O País – A verdade como notícia

Beira já tem capacidade de receber navios com pescado fresco

Inaugurado em Outubro do ano passado, o porto de pesca da Beira, em Sofala, vai receber, a partir deste mês, navios de grande tonelagem com carga fresca proveniente de outros países. Há condições para conservar o pescado por um ano.

Segundo o director do porto, António Remédio, neste momento estão a ser descarregadas 700 toneladas de carapau, proveniente da Namíbia, transportado por um navio de 107 metros de largura.

“Esta é a primeira vez que estamos a receber navios deste calibre, contendo produtos frescos, facto que justifica o investimento feito pelo Governo na reconstrução do porto de pesca da Beira”, disse António Remédio.

O dirigente também informou que o porto está equipado com câmaras frigoríficas que atingem menos 25 graus de temperatura para a conservação do pescado durante um ano, e menos 60 graus para conservar atum.

A infra-estrutura possui, igualmente, uma sala de processamento de produtos que acabam de sair do mar, com a capacidade de 50 toneladas por dia, bem como máquinas de congelamento rápido com capacidade de gelar 500 quilos por hora.

Neste contexto, António Remédio explicou como estão a ser criadas condições para evitar perdas de produto.

O pacote de investimento no cais número um, onde está localizado o porto de pesca da Beira, incluiu a aquisição de gruas e empalhadeiras para facilitar o serviço de descargas.

Quando o porto de pesca da Beira esteve encerrado, toda a carga fresca importada era manuseada no porto comercial da Beira, facto que acarretava elevados custos para os proprietários dos produtos.

Os armadores nacionais elogiaram a iniciativa, que para eles está a contribuir para colher benefícios económicos.

“Estamos a colher muitas vantagens com este porto (…). Temos câmaras frigoríficas excelentes, modernas e isso traz-nos vantagens económicas pois a qualidade de produto é outra”, afirmou Martins Mário, um dos armadores e utente do porto de Pesca da Beira.
Martins também destacou “as agradáveis condições de higiene” no porto.

O porto de pesca da Beira foi construído na era colonial e degradou-se ao longo do tempo até entrar em desuso, há cerca de 20 anos. Foi completamente destruído após a passagem do ciclone “Eline” pela região centro do país, no ano de 2000.

Atento à importância da infra-estrutura, o Executivo levou a cabo obras de reconstrução, ampliação e modernização.

Com as obras, o cais foi estendido 188 para 377 metros, permitindo a atracagem de 16 embarcações industriais de pesca em simultâneo, contra as anteriores oito, assim como o manuseamento de carga fresca nacional e estrangeira.

Foram investidos cerca de 120 milhões de dólares, provenientes do empréstimo do governo chinês. A inauguração foi orientada pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, em finais do ano passado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos