O País – A verdade como notícia

Banco Mundial anuncia pacote de 600 milhões de euros para impulsionar vacinas em África

O Banco Mundial (BM) e agências de desenvolvimento de França, Alemanha e Estados Unidos da América (EUA) anunciaram, esta quinta-feira, um pacote de 600 milhões de euros para impulsionar a produção de vacinas contra a COVID-19 em África.

O pacote de apoio, segundo o site “Notícias ao Minuto”, é destinado à farmacêutica sul-africana Aspen e tem como objectivo impulsionar a produção de vacinas no continente africano contra a doença provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2.

“O anúncio do pacote financeiro para a Aspen chegou ao mesmo tempo que os apelos dos governos africanos junto da comunidade internacional para apoiar a cadeia continental de fornecimento de vacinas para responder à COVID-19 e aumentar a resiliência a longo prazo do sector da saúde”, refere uma declaração da Corporação Financeira Internacional (IFC, em inglês), do Banco Mundial, citada pela agência Efe.

Da soma dos 600 milhões de euros, 200 provêm do IFC, 156 milhões da instituição financeira francesa Proparco, subsidiária da Agência Francesa de Desenvolvimento, 144 milhões da instituição financeira de desenvolvimento da Alemanha e 100 milhões da agência de desenvolvimento norte-americana.

A Aspen, a maior farmacêutica em África, desempenha já um papel fundamental na produção de vacinas contra a COVID-19 no continente, através de um acordo com a Johnson & Johnson para realizar a mistura final e a embalagem da sua fórmula numa fábrica no sudeste da África do Sul.

As vacinas produzidas serão distribuídas pela União Africana, Governo da África do Sul e pelo programa Covax, segundo uma nota emitida pelo Departamento de Estado norte-americano.

África enfrenta, actualmente, uma terceira vaga da COVID-19, estimulada em muitos países pela propagação da variante Delta.

A situação sanitária complicou-se em países como Uganda, Zâmbia e Namíbia, com a África do Sul, que incorpora os maiores números do continente, a serem alguns dos mais afectados em África naquela que é considerada a terceira vaga da pandemia.

No total, África soma mais de 5,3 milhões de infecções, incluindo 140 mil mortos, desde o início da pandemia, segundo dados do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

Apesar do progresso da doença, a vacinação é lenta, sendo limitada pelas dificuldades de acesso às fórmulas.

Segundo a contagem do África CDC, apenas 1,07% das mais de 1,07 mil milhões de pessoas que vivem em África têm a sua vacinação completa.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos, 3.940.888 mortes no mundo, resultantes de mais de 181,7 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença respiratória é provocada pelo novo Coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos