O País – A verdade como notícia

Banco de Moçambique lança terceiro concurso para novas Fintechs

Foto: O País

Foi lançada, nesta sexta-feira, a terceira edição de Apuramento de Novas Tecnologias de Financeiras (Fintechs), acção desenvolvida pelo Banco de Moçambique (BM). Para a presente temporada, estão disponíveis 10 vagas, que já contam com cerca de 18 candidaturas.

Denominada Sandbox Regulatório, a iniciativa enquadra-se no âmbito da implementação da Estratégia Nacional de Inclusão Financeira 2016-2022, que tem como objectivo aumentar o nível de acesso e uso dos serviços financeiros pela população.

Do projecto, espera-se, igualmente, que responda aos desafios impostos pela inovação tecnológica virada para os serviços financeiros, incluindo os que estão ligados à mitigação de riscos.

A iniciativa também tem o potencial de garantir a segurança de sistemas financeiros das instituições, protecção do consumidor e do mercado nacional.

“É nossa expectativa que, desta edição, surjam novos provedores no mercado e que juntos possamos contribuir para a promoção da inclusão financeira”, disse Rogério Zandamela, governador do Banco de Moçambique.

Para esta edição, o Banco Central conta com a participação de vários parceiros e destaque vai para o Financial Sector Deepening Moçambique, instituição virada no acompanhamento de iniciativas de inclusão financeira.

As novas tecnologias financeiras devem obedecer a três critérios, ou seja, devem ser capazes de apresentar identificação electrónica de clientes (e-KYC), agregador de pagamentos, serviço de intermediação financeira, previsão a tentativa de branqueamento de capitais (AML) e carteira digital.

No ano passado, a segunda edição do Sandbox Regulatório contou com a participação de sete Fintechs, entre as quais cinco nacionais e duas internacionais.

“A segunda edição ocorreu num ambiente adverso, decorrente da eclosão da pandemia da COVID-19 que, embora esteja relativamente controlada, ainda exige, a todos os níveis, acções de resposta à mitigação dos seus efeitos, facto que poderá ter ditado a desistência de dois concorrentes”, afirmou Rogério Zandamela.

Na segunda edição, duas novas tecnologias financeiras foram aprovadas, nomeadamente a PERTENCE e a SMART KEY SERVICE, de um total de cinco que chegaram ao fim. As restantes três continuam em teste.

Assim, as Fintechs aprovadas poderão obter licenças junto do Banco de Moçambique para disponibilizar os seus serviços e produtos ao mercado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos