O País – A verdade como notícia

BAL aos pés de Timo, Ubisse e Perry

Foto: BAL

Os internacionais basquetebolistas moçambicanos Ismael “Timo” Nurmamade e Helton Ubisse e o americano William Perry estão na lista dos melhores jogadores da Divisão Este da Elite 16 da fase de qualificação à Basketball Africa League (BAL).

Entre o Wembley Stadium (Joanesburgo) e a sempre recomendável cidade da Beira, há marcas indeléveis registadas por uma astuta geração de basquetebolistas que não só colocou Moçambique entre as doze melhores equipas do continente africano como também deixou maravilhada a organização da exigente Basketball Africa League (BAL). Ismael “Timo” Nurmamade é quanto baste para, com a extraordinária mudança de direcção e acerto nos tiros exteriores e curtos, fazer reluzir qualquer “team”. Timo provou, e a bem do basquetebol moçambicano, que ainda assombra, de forma literal, os seus adversários e imprime qualidade na quadra. Colocou, de resto, uma vírgula na ousadia dos anfitriões Cape Town Tigers no decisivo duelo das meias-finais da segunda janela de qualificação à Basketball Africa League (BAL).

O craque machuabo, com o mítico “8”, qual fã inconfesso da lenda Kobe Bryant, liderou o CFB com 24 pontos e três assistências na vitória, a 10 de Dezembro, diante dos campeões sul-africanos por 77-75. Na final, mais do mesmo: 25 pontos e dois ressaltos foram os números registados na vitória diante do Cobra Sports do Sudão do Sul, por 91-65.

Há dias em que não esteve bem. Certo! Só que Timo é Timo e Timo é resiliência. É, por isso, listado como um dos sete melhores jogadores da Divisão Este da Elite 16 do torneio de qualificação da embrionária Basketball Africa League (BAL).

 

TIMO: O CRAQUE MACHUABO ESTÁ DE VOLTA?

O craque do Ferroviário da Beira foi uma das melhores unidades nestas eliminatórias da Basketball Africa League (BAL).

O extremo-base arrancou exibições sólidas na fase de grupos (Grupo H2 da Divisão Este), marcando 14 pontos contra Cobra Sports (Sudão do Sul) e Ulinzi Warriors (Quénia). O jogador, de 30 anos, teve uma exibição ainda melhor nas meias-finais diante do Cape Town Tigers. Seus 24 pontos, num duelo emocionante e imperdível decidido já no fim, foram decisivos. Foi um espectáculo vê-lo actuar.

 

ELTON UBISSE, O “POWER FORWARD”

 

“Power forward” forjado no rival Ferroviário de Maputo, tendo em 2017 dado o salto para o Chiveve após conquistar o título numa equipa liderada pelo sérvio Bojan Seckik, Elton Ubisse esteve outrossim em bom plano na Elite 16 da Divisão Este das eliminatórias para a BAL.

Desviado da natação para o basquetebol, Ubisse teve uma evolução constante. Diz, a BAL, que Helton Ubisse é uma presença forte debaixo das tabelas (zona restrita) e com boa capacidade de jogar de cara e costas para o cesto.

Muito forte fisicamente, cria os necessários desequilíbrios ofensivos “partindo” muitas defesas. O internacional basquetebolista moçambicano esteve muito forte no jogo de abertura contra o Cobra Sports do Sudão do sul, contabilizando 17 pontos e cinco ressaltos (três defensivos e dois ofensivos) em 30:56 minutos na quadra.

Ubisse, que em 2017 contabilizou 27 pontos no jogo 5 dos “play-offs” da final a Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal diante do Ferroviário de Maputo, foi determinante também diante do Cape Town Tigers, em jogo das meias-finais da Elite 16 da Divisão Este.

Helton Ubisse terminou o jogo com um duplo-duplo (14 pontos e 11 ressaltos dos quais seis ofensivos e cinco defensivos) em 28:15 minutos na quadra.  No “pick and roll”, desestabiliza qualquer defensiva. É um jogador muito influente a jogar na zona restrita.

 

WILLIAM PERRY: O FABULOSO BASE

 

Não podia deixar de estar entre os melhores! Nem tão pouco. Qualidade acima da média fazem dele um base que faz jogar e pontua. Falando em pontuar, William Kiah Perry fez em todos jogos acima de dois dígitos. Senão vejamos: 16 pontos na estreia diante do Cobra Sports, 18 pontos frente ao Ulinzi Wariors do Quénia, 16 pontos nas meias-finais diante do Cape Town Tigers e 12 na final frente ao Cobra Sports.

Defensivamente, e apesar de ser franzino, faz igualmente o seu papel ainda que não seja o seu forte fazendo pressão ao portador de bola e, nos ataques dos adversários, presença constante nas ajudas.

Perry foi um dos maiores intérpretes e artífice da consistência do Ferroviário da Beira. O armador foi o coração do ataque do clube moçambicano.

Tem mais: pausa e acelera o jogo. Faz o passe no “timing” certo. A capacidade de William Perry em conduzir os ataques, desequilibrando qualquer defesa com os seus dribles é outra das qualidades do norte-americano.

 

ALVARO MASA PARA NÃO VARIAR

Cliente da Liga Moçambicana de Basquetebol, no entanto que reforço do Ferroviário de Maputo, o espanhol Alvaro Masa não deixou os seus créditos em mãos alheias. Como reforço do New Star do Burundi, Masa evidenciou toda a sua classe arrancando um duplo-duplo (14 pontos e 13 ressaltos) na vitória do New Star diante do Matero Magic da Zâmbia, por 78-70.

Na estreia, a 7 de Dezembro, o espanhol fez das suas ao liderar a sua equipa com 25 pontos e seis ressaltos no duelo diante do Cape Town Tigers (partida em que venceram por 83-71).

Infelizmente, os 33 pontos contabilizados diante do Cobra Sports do Sudão do Sul não foram suficientes para garantir a qualificação directa do New Star para à BAL.

Destaque, ainda, para Dieudonne Ndizeye do Ruanda que reforçou o Cobra Sports do Sudão do Sul. O atirador, que jogou na temporada inaugural da BAL pelo Patriots Basketball Club, mostrou-se letal.

O Cobra Sports do Sudão do Sul beneficiou-se, e como, de Dieudonne quando este se mostrou com as mãos quentes. O ruandês marcou 32 pontos, a maior pontuação do jogo, contra o Ulinzi Warriors do Quénia, ajudando o clube do Sudão do sul a avançar para as meias-finais.

O veterano Kenny Gasana, que também fez parte da vistosa actuação do New Star, mostrou liderança.

O armador e atirador do Ruanda apresentou desempenhos inspiradores nas vitórias contra Cape Town Tigers e Matero Magic. Além de suas brilhantes actuações nas quais contabilizou 20 pontos,  Kenny Gasana também assumiu as funções de armador e ajudou a definir a equipa em fases cruciais dos jogos.

Há ainda a assinalar as exibições de Landry Ndikumana (New Star), Billy Preston e Evans Ganapamo  (Cape Town Tigers) que estiveram em grande plano nesta fase de qualificação para a Elite 12 da Basketball Africa League (BAL).

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos