O País – A verdade como notícia

Baixou o número de pessoas que procuram viajar na “Junta”

Foto: O País

Depois de uma agitação intensa registada no Terminal Interprovincial Rodoviário da Junta, nos dias 23 e 24 de Dezembro, que provocou grandes enchentes e desorganização naquele local, dois dias depois do natal assiste-se a um cenário inverso.

Desde o dia 25 de Dezembro corrente, o movimento de pessoas e bens registou uma relativa queda, tanto para transporte interprovincial, bem como de transporte internacional (Joanesburgo, Nelspruit e Durban). Os únicos que movimentam o local são os vendedores ambulantes que, inclusive, já registam redução nas vendas, se comparado aos dias anteriores.

O jornal “O País” conversou com alguns transportadores que, por falta de passageiros, se faziam a rodas de conversa, mesmo para passar o tempo.

Um exemplo disso é Cardoso André que, preocupado, contou que estava, desde domingo último (26), a tentar preencher o seu carro, acção que, em dias normais, consegue fazer em duas ou três horas, mas desta vez está difícil.

“Não está a ser fácil carregar aqui na Junta. A movimentação é muito fraca. Nos dias anteriores, conseguimos trabalhar, até começar a abrandar na manhã do dia 25. Desde então, é só este vazio”, contou Cardoso André, transportador.

André contou ainda que, em mais de 15 horas, só conseguiu embarcar 14 pessoas para uma viatura com capacidade para cerca de 40 passageiros.

Mas, nem todos têm a mesma disposição. Enquanto uns tentam trabalhar, há quem decidiu parquear a viatura na expectativa de voltar a operar quando o cenário estiver melhor. Quem assim conta é o controlador das viagens internacionais, Salavida Alberto.

“Nestes dias, não temos carros que viajam para África do Sul, isto porque os passageiros estão em maior número em Moçambique, do que na África do Sul. Se um carro sai, vai ser apenas para trazer passageiros da África do Sul para cá, porque daqui da terminal sairá vazio ou com um máximo de quatro pessoas, o que não é sustentável”, disse.

O chefe de Ordem no Terminal da Junta conta que o cenário é normal para esta época do ano, porém espera-se por maior procura nos próximos dias, com o regresso dos mineiros e turistas à terra do rand.

“Este cenário será assistido pelo menos até dia 30 de Dezembro. A partir do dia 1 de Janeiro, a coisa poderá mudar de figura, pois são muitas as pessoas que voltarão para os seus locais de trabalho, tanto das zonas Norte e Centro para Maputo, bem como de Maputo para África do Sul”, contou Vasco Novela, chefe da Ordem no Terminal da Junta.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos