O País – A verdade como notícia

Autocarro pega fogo em plena marcha em Maputo

Um autocarro pegou fogo na Av. de Moçambique em plena marcha na Cidade de Maputo com passageiros a bordo. O machimbombo fazia o trajecto Baixa da Cidade até ao terminal rodoviário de Zimpeto. Suspeita-se que problemas eléctricos tenham originado o incêndio, no qual não houve registo de vítimas.

Eram 6h30 min, desta quarta-feira, quando um autocarro de fabrico chinês de Marca ”Yutong“ ao serviço da cooperativa de transporte (COTRAC 1) ardeu em plena marcha e com muitos passageiros a bordo. O veículo partira da Baixa da Cidade de Maputo, com destino ao terminal Rodoviário de Zimpeto, destino que não chegou a concluir, pois segundo contou ao Jornal “O País“, Miguel Matola, motorista do autocarro, depois de ter desembarcado alguns passageiros na paragem mais conhecida por cruzamento de Matendene, também na Av. de Moçambique, e retomada a viagem viu do interior do autocarro concretamente no motor muita fumaça seguida por chamas. 

Face a situação os passageiros saíram pelas janelas e outros pelas duas portas instaladas no autocarro que ficou completamente engolido pelas chamas. Miguel Matola, conta que viveu momentos de pânico e susto. “ Peço que o curto-circuito pode ter originado o incêndio. Não houve feridos, saíram todos ilesos, todos passageiros foram aos seus afazeres”.

Na altura do incêndio, Cristóvão Manjate, estava posicionado na porta traseira do machimbombo, aliás, ele é cobrador do veículo já em cinzas. Conta que haviam embarcados muitos passageiros.

Tenteram debelar as chamas com recurso aos extintores do próprio automóvel, segundo Manjate, o que não foi possível. Tiveram auxílio dos homens da estacão do serviço existente nas proximidades e por fim os bombeiros do Serviço Nacional de Salvação Pública (SENSAP) que quando chegaram nada restava daquele que minutos antes do incidente era o meio de transporte aguardado na próxima paragem por centenas de passageiros. 

Pelo estágio em que se apresenta actualmente não se sabe se vai voltar a andar ou não. António Tsucana, presidente da (COTRAC 1) cooperativa detentora do veículo, disse ao “O País” que o autocarro estava assegurado e que neste momento é preciso fazer-se um trabalho de perícia para se aferir as reais causas do incêndio. 

O autocarro que ardeu faz parte do primeiro lote de 50 autocarros adquiridos pelo Governo, no âmbito do ”Plano mil“, alocados às cooperativas de transporte. 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos