O País – A verdade como notícia

Aumentam doentes com COVID-19 no centro de isolamento de Nampula

O centro de isolamento de doentes graves da COVID-19 na cidade de Nampula está a registar aumento de internamentos. Há um mês eram apenas três, mas hoje são 11. Desde que foi criado o centro em causa, já morreram 15 pessoas.

Há precisamente um mês o centro de isolamento de doentes graves da COVID-19 na cidade de Nampula tinha apenas três internados quando a nossa equipa esteve no local. Em 30 dias, as camas que antes estavam desocupadas passaram a ter pacientes e neste momento são 11, para uma capacidade de 30.

“Não estamos numa situação de colapso em relação ao fluxo no nosso internamento. Actualmente temos no nosso centro de isolamento 11 pacientes internados. São 12 na província, porque um está no distrito de Nacala-Porto, concretamente, no centro de isolamento do centro de saúde Urbano”, explica Geraldino Avalinho, chefe do Departamento de Saúde Pública na Direcção Provincial de Saúde em Nampula.

Desde que foi criado o centro de isolamento da cidade de Nampula em meados do ano passado, 15 pessoas já perderam a vida. O pessoal da Saúde alerta que muitos pacientes que são internados chegam graves porque primeiro optam pelo tratamento domiciliar.

“O problema dos nossos pacientes é que quando testam positivo pautam pelo tratamento domiciliar, se calhar contratam um profissional de saúde e estes vão fazendo seguimento destes pacientes em regime domiciliar. É preciso entender que os compressores que são vendidos nas farmácias privadas, se for o caso, podem não ter capacidade de oxigénio o suficiente para o paciente. Portanto, estando no Hospital da Graça temos condições de garantir que as concentrações de oxigénio que cada paciente vai necessitar sejam acauteladas”.

O Hospital da Graça, onde funciona o centro de isolamento, é um espaço privado, por isso está em finalização, com apoio do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), o centro de isolamento que vai funcionar nas antigas instalações da Universidade Lúrio, devendo ter mais capacidade de internamento.

Sobre a vacina para imunizar o pessoal da saúde, o chefe do Departamento de saúde pública na direcção provincial da Saúde assegura que estão acauteladas 17.790 doses, para administrar a 8.640 profissionais em duas doses, sendo que a primeira será a partir do dia 8 de Março corrente e a segunda, 21 dias depois.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos