O País – A verdade como notícia

Aumenta procura por material escolar em Maputo 

Foto: O país

As papelarias, livrarias e lojas especializadas na venda de uniformes escolares, na Cidade de Maputo, registam movimento incomum de pais e encarregados de educação que procuram material escolar.

A preparação para a retoma das aulas está a ser marcada por um movimento intenso de pais e encarregados de educação que procuram por itens que fazem parte do material escolar. Este sábado, numa ronda efectuada pela Baixa da Cidade, a equipa de reportagem constatou enchentes e filas longas nas papelarias e livrarias. Os pais justificam o pagamento tardio de salários e o tempo como factores que condicionaram a procura do material escolar, mas mostram-se animados com os preços.

“ Vim comprar cadernos para as minhas filhas, são duas, uma vai para 7ª classe e a outra pra 12ª classe”, disse Hortência Francisco acrescentando que “os preços estão razoáveis, gastei um total de 900 meticais com as duas, comparando com o ano passado não mudou muito”.

Sofiano Manzem, um encarregado de educação, tem uma opinião diferente “eles sempre aumentam o valor do material escolar quando faltam poucos dias para o início das aulas, eu nem consegui comprar tudo”, desabafou. E porquê só agora faz as compras? “ Porque só agora recebi o salário!”, disse o entrevistado.

Por outro lado, a procura por material escolar animou os proprietários das papelarias e livrarias, que há dois anos não registavam um movimento destes, por conta da COVID-19.

“Desde sexta-feira que a loja está a vender de forma considerável, atendemos 100 a 150 pessoas, este sábado o número triplicou”, explicou Momed Cassamo, proprietário de uma papelaria na Baixa da Cidade de Maputo.

As livrarias também registam muita procura, numa das lojas de venda de livros no centro da cidade, os livros do ensino secundário chegaram a esgotar.

“ Tivemos que reforçar o stock, ainda assim não conseguimos todos os livros para satisfazer a demanda”, explicou, Cândido Namburete, vendedor na livraria.

E porque para os alunos não basta só caderno,  canetas lápis e pasta, as lojas especializadas na venda de uniformes escolares também registam um movimento intenso. Calças, saias, camisolas, gravatas e sapatos são os itens necessários, mas nem todos conseguem tudo o que pretendem para os seus educandos.

“Estou desde semana passada à procura de calças do uniforme para o meu filho, e não encontro o seu tamanho. Nesta loja, só consegui camisa”, disse Gina Mário defendendo a preferência por roupas já prontas em relação às costuradas. “É trabalhosos mandar fazer e depois a qualidade dos tecidos é fraca”, sublinhou a nossa entrevistada

Outra fonte explicou que devido às enchentes viu-se obrigada a madrugar para conseguir comprar o uniforme para o seu educando “aqui consigo tudo, camisas saias, peúgas camisola, gravata e bolso, os preços estão acessíveis não há motivos de queixas”, disse Flávia Maria

O arranque do ano lectivo está marcado para esta segunda-feira, 31 de Janeiro.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos