O País – A verdade como notícia

Aulas da 7ª classe retomam a 02 de Novembro, mas alunos das zonas com violência armada devem esperar…

É já segunda-feira que retomam as aulas presencias da sétima classe e do segundo ano de educação de jovens e adultos, sete meses depois da paralisação imposta pela pandemia do novo Coronavírus. Entretanto, os alunos que se encontram nas zonas assoladas pelo terrorismo e pelos taques armados não poderão frequentar as aulas, por enquanto.

São mais de 532 mil alunos da 7ª classe, distribuídos por mais de oito mil escolas em todo o país, segundo o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano.

Com a interrupção de aulas, devido à COVID-19, houve reajuste dos programas de ensino da 7ª classe e do segundo ano de educação de jovens e adultos. Foi ainda reajustado o regulamento de avaliação e as direcções provinciais da Educação estão ao corrente das mudanças.

De acordo com o porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, Feliciano Mahalambe, os alunos que se encontram nas zonas de conflito e na condição deslocados não terão o mesmo tratamento.

“Nestes distritos” assolados pelo conflito armado, nas províncias de Cabo Delgado, Manica e Sofala, “a população, de uma forma geral, está deslocada e, neste momento, o que estamos a fazer é recolher e registar as crianças” em idade escolar, no sentido de “enquadrá-las nas escolas” das zonas onde se “encontram refugiadas, para garantir que elas retomem às aulas”, explicou Feliciano Mahalambe.

Ainda nas zonas onde há violência armada, em relação aos alunos da 12ª e 10ª classes, cujas aulas iniciaram a 01 e 19 de Outubro, respectivamente, Mahalambe disse que ao todo 1.400 e já estão a estuda.

“Em Cabo Delgado, nos registámos” alunos e professores deslocados. “Temos registo, neste momento, de todas as crianças que se deslocaram para Pemba e outros distritos” cujos pais e encarregados de educação “consideram seguros”. Eles “já estão enquadrados noutras escolas e há também registo de professores que já estão a trabalhar nesses sítios”, avançou o porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano.

A instituição faz balanço positivo da retoma das aulas presenciais da 12ª e 10ª classes, referindo que ainda não houve registo de casos de contaminação pela COVID-19 nas escolas.

Até 29 de Outubro corrente, do total de 476 escolas que lecionam a 12ª classe, 90 por cento já se encontram em actividades. Dos 618 estabelecimentos que leccionam a 10ª pelo menos 70 por cento já retornam às aulas.

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano apela aos pais e encarregados de educação a estimularem os alunos de modo a assistirem às aulas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos