O País – A verdade como notícia

Ataques causam dois mortos em Cabo Delgado

Duas pessoas morreram e outras duas contraíram ferimentos como resultado de ataques que ocorreram no dia 29 de Novembro último, no distrito de Mocímboa da Praia, em Cabo Delgado. A informação foi avançada hoje, no Comando-geral do Ministério do Interior.

A província de Cabo-Delgado foi, mais uma vez, palco de ataques violentos, protagonizados por um grupo desconhecido. Depois dos ataques dos dias 5 e 12 de Outubro, o distrito de Mocímboa da Praia voltou a ser alvo de instabilidade, onde, na quarta-feira da semana passada, dois residentes foram mortos e outros dois contraíram ferimentos. O Comando-geral da PRM, através do seu Porta-voz, garantiu que a ordem foi reposta.

“Tudo está a ser feito em coordenação com outras entidades, para a detenção dos envolvidos neste acto. Mas neste momento, a segurança e a ordem públicas voltaram à normalidade e a PRM continua a envidar esforços e está a trabalhar paralelamente com outras instâncias do governo e as comunidades para manter a tranquilidade, mas prosseguem acções de sensibilização das pessoas para que volte às suas actividades produtivas e levem o rumo habitual”, disse Inácio Dina.

A fonte advertiu também para a denúncia pontual às autoridades policiais, de quaisquer movimentos duvidosos que podem pôr em causa a segurança e tranquilidade das comunidades.

“Chamamos atenção a toda sociedade para que denuncie imediatamente quaisquer movimentações estranhas, mas queremos assegurar que está tudo controlado e será ainda perene com o engajamento das Forças de Defesa e Segurança”. Reforçou o porta-voz Dina. 

Sobre o recente caso de linchamento de seis supostos criminosos, no município da Matola, província de Maputo, a polícia disse que está a fazer de tudo para responsabilizar os autores de linchamento.

“Linchamento é crime e, neste contexto, estamos a trabalhar para apurar quem foram os autores do mesmo e a consequente responsabilização”, determinou.

O porta-voz da polícia disse também que os depoimentos da população não passam de um equívoco, ao referir que de entre os linchados, um deles é membro da Polícia da República.

“Queremos reiterar que dos linchados, nenhum deles é integrante da corporação e pode ser que a população estava equivocada no momento por ver alguns vestígios que referem. Mas como sabeis, os corpos foram reconhecidos pelos familiares e apurou-se a proveniência de cada um”, disse.

O balanço semanal da polícia aponta que, na semana de 25 de Novembro a um de Dezembro corrente, foram registados, em todo país, cerca de 144 crimes de vária natureza, que resultaram na detenção de 220 cidadãos por delito comum, 121 contra património, 34 contra pessoas e 65 detidos que terão atentado contra a segurança e tranquilidade públicas.

No mesmo contexto de detenções, foram também detidos alguns nacionais e estrangeiros por violação de fronteiras, em número de 747.

“Deste número de detidos, 367 são moçambicanos, 182 malawianos, 116 tanzanianos, 66 zimbabweanos e ainda 16 zambianos”.

No que respeita aos acidentes de viação, a semana em causa registou uma redução em seis casos, comparativamente ao mesmo período do ano passado. Contudo, 10 pessoas morreram contra 11 de 2016.

Excesso de velocidade e a inobservâncias das regras elementares de condução e de segurança rodoviária, continuam a ser as principais causas da sinistralidade.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos