O País – A verdade como notícia

Assinala-se hoje um ano do Acordo de Paz Definitiva

Moçambique assinala hoje a passagem do primeiro aniversário da assinatura do Acordo de Paz Definitiva. Dos compromissos selados através do acordo selado na Praça da Paz, já há passos visíveis, mas o processo ainda não terminou.

Aassinatura do Acordo de Paz Definitiva no país, depois de um longo processo de diálogo entre o Governo e a Renamo, resultou de negociações que começaram num clima de maior tensão política e militar, com idas e vindas, tendo terminado com entendimentos selados na Praça da Paz, na cidade do Maputo.Numa mensagem alusiva a esta data, Filipe Nyusi felicitou a Renamo pelo acontecimento e recordou o caminho que o processo seguiu.

“O percurso foi repleto de desafios, tivemos de navegar pelas tormentas para mantermos o nosso rumo para a paz, um desiderato que não se afigura fácil.  O Acordo de Paz e Reconciliação foi o culminar de uma etapa do longo processo de diálogo político que encetamos com a liderança da Renamo, visando pôr fim a um conflito armado que, ainda que localizado, dilacerava o tecido social e económico do país, bem como condicionava o aprofundamento do Estado de Direito Democrático”, recordou.

Nyusi recordou ainda alguns momentos sinuosos que o processo seguir, mas destacou a resiliência e a firmeza na caminhada, que já está a dar resultados esperados.

“Mais de 500 antigos guerrilheiros da Renamo regressaram às suas casas para se juntarem às suas famílias e começar uma nova vida. Os antigos guerrilheiros exprimiram a sua satisfação pela sua reinserção, estando desejosos em abraçar novas formas de vida e conviverem pacificamente com os seus vizinhos”.

Ainda assim, admitiu que prevalecem desafios, salientando que serão, também ultrapassados.

“O desafio que hoje enfrentamos é mantermo-nos fortes, corajosos no caminho da paz e reconciliação sem quaisquer hesitações – nem pausas e muito menos sermos desencorajados e recuarmos – mas devemos sim continuar na nossa trajectória para o alcance do desejo de todos os moçambicanos de viver livremente e em paz.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos