O País – A verdade como notícia

Assassinato de Amurane: SERNIC indicia membros do MDM

O Serviço de Investigação Criminal constituiu 10 arguidos, entre eles membros seniores do MDM, no âmbito das investigações sobre o assassinato do edil de Nampula, Mahamudo Amurane.

O Serviço Nacional de Investigação Criminal remeteu esta quarta-feira à Procuradoria Provincial de Nampula o processo relativo ao assassinato do antigo edil de autarquia de Nampula, após concluir todas as diligências que se impunham. De acordo com a SERNIC, as conclusões remetem a desentendimentos intrapartidários.

“Ainda que de forma preliminar apurámos elementos que indiciam o envolvimento de membros, incluindo quadros seniores do MDM, em número de 10 que foram constituídos arguidos. O processo foi remetido a procuradoria provincial de Nampula para competentes termos processuais que podem levar a acusação ou a abstenção”, disse Leonardo Simbine Chefe do Departamento das Relações Publicas do SERNIC.

Simbine escusou-se de revelar os nomes dos arguidos alegando a necessidade da salvaguarda da presunção de inocência e acrescentou que agora o processo entrava na fase de instrução preparatória. Contudo disse não ter dúvidas de que os elementos recolhidos são bastantes para a indiciação dos membros do MDM

“Alguns membros do MDM manifestaram-se publicamente, declarando a intenção de retirar o Edil de Nampula a força, algo que desencadeou forte desentendimento dentro daquela formação política”, explicou.

Simbine disse ainda que, no contexto desses desentendimentos, foram proferidas ameaças contra a integridade física do malogrado.

“A linha de investigação não ignorou este cenário de desavenças e ameaças protagonizadas por elementos do MDM”, reiterou.

Na próxima quinta-feira passa um ano após o assassinato de Mahamudo Amurane. Questionado sobre o porquê de só agora e em plena campanha eleitoral para as autárquicas o SERNIC se pronunciar sobre o caso, Leonardo Simbine, defendeu que era necessário separar a actividade dos políticos da investigação criminal e alegou a complexidade do caso para os resultados da investigação serem só agora conhecidos. Disse igualmente que o facto de se estar em campanha eleitoral era apenas uma simples coincidência                     

Nenhum dos indiciados está detido, mas já foram todos formalmente notificados.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos