O País – A verdade como notícia

Artur Semedo mais um ano como “guerreiro” de Gaza

O Clube de Chibuto renovou o contrato de trabalho de Artur Semedo, para a próxima temporada futebolística, com o desafio claro de conquistar a Taça de Moçambique

O contrato que liga Artur Semedo ao Clube de Chibuto foi renovado ontem, tendo como principal meta a melhoria da 7ª posição alcançada em 2017. Para além deste objectivo, há um desafio que foi colocado pela direcção do clube. “Renovamos com ele ontem, para o próximo ano, depois de termos feito um contrato de seis meses este ano. Sentimos que ele não tinha feito tudo o que queria, por isso decidimos renovar com ele. O que nós queremos é que ele nos dê a Taça de Moçambique, próximo ano”, disse Betuel Sanveca, falando dos desafios do treinador dos “guerreiros” de Gaza.

Sob responsabilidade de Artur Semedo está a contratação de novos jogadores, bem como a despensa de alguns que não farão parte do plantel para 2018. Para o efeito, segundo o presidente do Chibuto, tudo vai ser decidido no início da próxima temporada, embora já haja saídas confirmadas e contratações em cima da mesa, esperando apenas pelo aval de Semedo.

Outrossim, Johane é o nome confirmado como de saída, devendo ser confirmado nos próximos dias.

Num outro desenvolvimento, o presidente do Clube de Chibuto disse que a época 2017 não correu tal como era o desejado, daí que a avaliação não seja positiva. “Começamos a perder pontos ainda na primeira volta e quando sentimos que já não dava, conversamos com o anterior treinador, Portela, para podermos negociar com o Semedo, mas acho que era tarde. Queríamos ter conquistado uma Taça de Moçambique, mas não foi possível e depois pensamos na conquista do Moçambola, mas não conseguimos. Por isso a nossa avaliação não foi boa”, disse Betuel Sanveca.

Relativamente ao início tardio da época futebolística, Sanveca garantiu que será um tema a ser levado a debate na Assembleia Geral da Liga Moçambicana de Futebol, tendo em conta que prejudica as equipas. Para este dirigente desportivo, seria interessante e benéfico que o Moçambola iniciasse mais cedo, em 2018.

Recorde-se que na temporada terminada, o Clube de Chibuto terminou com 43 pontos, a 21 do campeão nacional, a União Desportiva de Songo. Artur Semedo “pegou” a equipa na última jornada da primeira volta, tendo conseguido seis vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos