O País – A verdade como notícia

Arrancou vacinação dos atletas do Moçambola

Arrancou, esta semana, a imunização dos atletas do Moçambola contra a COVID-19. A vacinação vai decorrer até amanhã no Comité Olímpico. Além dos intervenientes do Moçambola, serão vacinados todos os atletas que vão participar dos campeonatos nacionais.

A 8 de Maio, a bola volta a rolar nos relvados nacionais. É o retorno do espetáculo de futebol que ficou paralisado durante três meses depois da disputa de apenas quatro jornadas devido ao crescente número de casos da COVID-19. Ademais, o Presidente da República recebeu as promessas de testes regulares por parte da Federação Moçambicana de Futebol que, porém, não passaram de simples propaganda. Aliás, foi por aquilo que o Presidente da República considerou de falta de seriedade, pelo que decidiu suspender a prova.

A Federação Moçambicana de Futebol, a Liga também da modalidade e a Secretaria do Estado de Desporto não desarmaram e exerceram pressão para que Filipe Nyusi cedesse. Bem antes da penúltima comunicação à Nação, a FMF, LMF, SED e vários desportistas reuniram-se com o número um da Nação e pediram-lhe que cedesse até porque estavam à vista os compromissos internacionais. O jogo contra Cabo Verde para a qualificação ao CAN, no qual Moçambique perdeu por 0-1 no Zimpeto, foi usado como pretexto, mas Nyusi não recuou.

Na sua última comunicação, o Chefe de Estado cedeu, mas impôs mais condições, pois as que dera da primeira vez não foram cumpridas na totalidade: realização de testes regulares (feitos apenas uma vez) e ausência do público nos recintos desportivos.

Para evitar um “back”, a Secretaria do Estado do Desporto envidou esforços e os artistas da bola estão, desde terça-feira, a ser imunizados contra COVID-19.

“Temos expectativa de que as coisas vão correr da melhor forma. Além da cidade de Maputo, a vacinação está a decorrer noutras regiões onde há equipas que disputam o Moçambola. Este é um processo que abrange todos os atletas que vão participar dos campeonatos nacionais, mas a prioridade vai para o Moçambola que começa a 8 de Maio”, disse Francisco da Conceição, Director Nacional do desporto de rendimento.

A vacinação decorre sob orientação do sector da saúde, que, na cidade de Maputo, garante estar tudo acautelado para que o processo seja eficaz. Aliás, muitas pessoas têm receado os efeitos colaterais da vacina, o que, para o sector da saúde, não pode constituir preocupação.

“Temos pessoas que farão a vacinação e temos, igualmente, as que vão acompanhar possíveis casos de efeitos colaterais”, garante a Directora da Saúde da Cidade de Maputo, Bélia Nhambire, ao dissipar quaisquer rumores sobre os efeitos da imunização.

“Segundo os fabricantes da vacina, os efeitos colaterais são bastante irrisórios e são normais como os de qualquer vacina”.

A imunização poderá garantir o retorno seguro das restantes 22 jornadas do Moçambola.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos