O País – A verdade como notícia

Arranca campanha de pré-marcação para vacinação massiva

O Ministério da Saúde arrancou, ontem, em todo o país, com uma nova abordagem para o processo de vacinação contra a COVID-19. Trata-se do sistema de imunização através de pré-registo.

Nesta fase, as autoridades têm como grupos-alvo população com 50 ou mais anos de idade; funcionários e agentes do Estado, incluindo professores não abrangidos nas fases anteriores; motoristas e cobradores de transportes de passageiros, bem como de motorizadas e bicicletas.

Para ser abrangido pelo processo, o cidadão deverá dirigir-se ao posto de vacinação mais próximo à sua residência e fazer o seu pré-registo, durante o qual saberá a data e a hora em que será vacinado.

Na cidade de Maputo, onde há maior número de óbitos e infecções, o pré-registo decorre de 04 a 12 de Agosto. As autoridades de saúde esperam submeter à vacinação massiva mais de 200 mil pessoas.

“Para esta fase, esperamos vacinar, a nível da Cidade de Maputo, 150. 816 pessoas para população acima de 50 anos; 6 mil professores e 56 mil funcionários públicos”, explicou Sheila Lobo, directora do Serviço de Saúde da Cidade de Maputo

Com a pré-marcação, o MISAU pretende garantir que o processo de vacinação das pessoas dos grupos de risco decorra sem criar ambientes propícios para contaminações. Para evitar que haja ajuntamentos desnecessários nos locais de vacinação, o sector tem distribuído, pela Cidade de Maputo, mais de 40 postos de pré-registo.

“Com o processo de pré-marcação, pretendemos reduzir o tempo de espera nos postos de vacinação e evitar aglomerações. Esse processo permitirá que os beneficiários conheçam o dia, a hora e o local da vacinação”, reiterou a dirigente para depois detalhar. “Na Cidade de Maputo, temos cinco postos distribuídos pelo distrito municipal KaMphumo, doze no KaLhamanculo, sete no KaMaxaquene, doze no KaMubukwana e KaMavota, cinco em KaTembe e três postos no distrito municipal KaNhaca”.

Entretanto, para todos estes postos, há um grupo que não precisa de se deslocar, pois a pré-marcação será electrónica.

“Os funcionários e agentes do Estado não precisam de se deslocar para fazer a pré-marcação. Nós estamos a fazer um pré-registo electrónico. A empresa envia-nos a lista destes funcionários e nós procedemos à marcação electronicamente e informamos a hora e o local da vacinação”, concluiu.

Como primeiro dia, o posto de pré-registo, que a nossa equipa visitou, registou pouca afluência, facto que foi justificado pela falta de informação. Ademais, muitos funcionários públicos dirigiram-se ao local, quando estes podem fazê-lo de forma electrónica.

PRÉ-REGISTADAS CERCA DE NOVE MIL PESSOAS NA PROVÍNCIA DE MAPUTO

Na província de Maputo, o segundo local com mais mortes e casos positivos da pandemia, a Saúde prevê vacinar 202.408 pessoas. Até ontem, dia do arranque formal do processo, as autoridades já tinham alistado cerca de nove mil pessoas, segundo explicou a directora do Serviço de Saúde na província de Maputo, Iolanda Santos.

“A maior parte deste número é constituída por agentes e funcionários de Estado. Temos, ainda, alguns transportadores e motoristas de chapa e, hoje, também fizemos o registo de um número significativo de pessoas nos postos de vacinação”.

Iolanda Santos reiterou que o processo de pré-registo visa tornar o processo de vacinação célere e dinâmico.

“Este pré-registo é muito importante, porque ajuda a reduzir a demanda, não queremos que se criem enchentes. Queremos que a vacinação ocorra de forma ordeira”, disse para depois explicar como funciona o processo. “Registamos os nomes no livro e entregamos o cartão àquelas pessoas que efectuam o registo. Em seguida, colocámos também a data e a hora em que a pessoa deve vacinar, deste modo temos condições para organizar o processo de vacinação”.

Noutro desenvolvimento, Iolanda Santos disse que a província de Maputo vai contar com cerca 98 postos fixos, tendo arranjado locais específicos que foram reservados para determinados grupos.

“Para os transportadores de chapas, assim como os seus cobradores, colocamos os postos de vacinação nas sedes das associações dos transportadores em toda a província”, referiu,

A fonte assegurou que o processo de pré-registo está a decorrer sem sobressaltos. “Até ao momento, o processo está a decorrer tranquilamente em todos os postos de vacinação. Felizmente, estamos a ter uma boa adesão, a população aderiu, estamos a perceber que tiveram acesso à informação, para nós isso é muito bom. O que nós apelamos é que as pessoas venham aos postos fixos de vacinação. Para este processo, teremos locais abertos como campos de futebol e ciclos”.

De referir que, nesta província, o processo vai contar com cerca de 400 profissionais de saúde, organizados em 98 equipas, distribuídas por cinco elementos.

MAIS 500 MIL VACINAS JÁ NO PAÍS

Chegaram, ontem, ao país mais 500 mil vacinas contra a COVID-19 para ajudar a travar a doença. As referidas doses da vacina Verocell, fabricadas pela chinesa Sinopharm, juntam-se às outras em número de um milhão de doses recebidas semana passada. O objectivo é garantir que 11 milhões de vacinas cheguem ao país até ao final deste mês de Agosto.

“O Governo de Moçambique, através do Ministério da Saúde, procede, a partir desta quarta-feira, dia 4 de Agosto, à vacinação em massa da população moçambicana. Quero, por isso, apelar a todos que fazem parte dos grupos elegíveis que façam parte do processo de vacinação”, aconselhou Lídia Cardoso, vice-ministra da Saúde.

Numa altura em que a COVID-19 mata como nunca antes o fez no país, Lídia Cardoso apelou para maior prevenção da doença, até porque a vacina não cura nem torna as pessoas imunes. “Reiteramos o apelo a todos para o cumprimento rigoroso das medidas de prevenção da COVID-19”, aconselhou.

Com as vacinas recebidas esta terça-feira, o país já soma mais de 2.500.000 doses já recebidas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos