O País – A verdade como notícia

AR constata altos índices de desnutrição crónica em Tete

Foto: AR

A Comissão do Plano e Orçamento (CPO) da Assembleia da República (AR) mostrou-se preocupada com os elevados índices de desnutrição crónica que se registam na província de Tete, uma parcela do território nacional que se destaca na produção de diversos produtos alimentares.

A inquietação foi manifestada, nesta segunda-feira última, pelo presidente da Comissão do Plano e Orçamento (CPO), António Niquice, durante os encontros de trabalho mantidos com os membros dos Conselhos Executivo Provincial e dos Serviços Provinciais de Representação do Estado.

Niquice, que chefia um grupo dos deputados membros da CPO, mostrou-se agastado com o cenário que se regista em Tete relativamente à ocorrência de elevadas taxas de desnutrição crónica, numa província com altos índices de produção.

O presidente da CPO entende que o facto de, em 2020, a taxa de desnutrição crónica estar na cifra dos 40 pontos percentuais, deve preocupar as autoridades governamentais, tendo lançado apelo para a educação nutricional das comunidades visando a melhoria do cenário em crianças.

As autoridades governamentais em Tete apostam, igualmente, na reabilitação nutricional ambulatória das crianças que padecem de desnutrição crónica e o informe do Conselho dos Serviços Provinciais de Representação do Estado acrescenta que “a taxa de baixo peso a nascença reduziu de 3,6% em 2019, para 3,1% em 2020”.

No concernente a segurança alimentar e nutricional, o documento indica que na campanha agrícola 2020-2021 o consumo em cereais é estimada em cerca de 434.017 toneladas e a produção calculada em 1.301.439 toneladas.

Na componente das receitas públicas, a província de Tete arrecadou, no primeiro semestre de 2021, MZN 12.816,31 milhões de receitas próprias e consignadas da meta anual de MZN 58.685,80 milhões.

Ainda no período acima referido, foram arrecadados MZN 12.816,31 milhões de receitas próprias e consignadas da meta anual de MZN 58.685,80 milhões.

Em 2020, aquela província colectou, para os cofres do Estado, MZN 15.624,69 milhões de receitas, o correspondente a 119% da meta inicialmente estimada em MZN 13.138,94 milhões, contra MZN 15.016,38 arrecadados em 2019.

Contribuíram para o alcance desta meta o pagamento do Imposto sobre o IVA nas operações internas e na importação de bens e serviços diversos, o pagamento de direitos aduaneiros sobre o comércio externo e a intensificação da fiscalização de mercadorias nas fronteiras, bem como mercadorias em circulação por parte das brigadas móveis.

As autoridades governamentais daquela parcela do país destacam, nas finanças públicas, a contribuição das maiores empresas que operam em Tete para os cofres do Estado, estimada em MZN 8.780,02 milhões, ressaltando-se a Hidroeléctrica de Cahora Bassa, HCB.

Em Tete, a delegação parlamentar da CPO reuniu-se, igualmente, com os membros da Assembleia Provincial, do Conselho Autárquico de Chimoio e das Organizações da Sociedade Civil, incluindo os Agentes Económicos.

O grupo escalou ainda os Distritos de Moatize e Marara para aferir o grau de implementação do Plano Económico e Social (PES) e Orçamento do Estado (OE), tendo em vista abordar os elementos de avaliação e monitoria do grau de implementação das acções governativas planificadas para o ano de 2020 e primeiro semestre de 2021 na materialização dos objectivos do Programa Quinquenal do Governo (PQG).

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos