O País – A verdade como notícia

Apreendido material ferroviário prestes a ser exportado na Beira

As autoridades apreenderam quantidades enormes de material eléctrico prestes a ser exportado para a China, a partir do porto da Beira, em Sofala. É a segunda apreensão de material idêntico em menos de uma semana.

 

O material, apreendido numa empresa de sucata, na cidade da Beira, foi roubado numa das linhas de Sena, que liga o porto da Beira à cidade carbonífera de Moatize.

 

O material foi encontrado num contentor que estava prestes a ser exportado para China.

De Janeiro a 15 deste mês foram registados nas linhas de Machipanda e Senna mais de 30 roubos de material ferroviário. Do material apreendido roubado, constam carris, travessas e fixadores.

A apreensão resultou de um trabalho entre a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique e a Polícia da República de Moçambique.

“Não é pela primeira vez que estamos perante uma situação desta. O estranho é que todas as empresas de sucatas sabem que qualquer empacotamento deve” acontecer “na presença de representantes dos Caminhos de Ferro de Moçambique. Este protocolo não foi observado, o que mostra claramente há má-fé por parte desta empresa”, disse Boaventura Mahave, director ferroviário da empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique.

“O que nos preocupa ainda é ver neste recinto vários contentores já embalados. Não sabemos que tipo de ferro contém no interior, daí que o processo a seguir é inspeccionar um a um, pois possivelmente outros materiais ferroviários poderão estar dentro dos contentores”, acrescentou Boaventura Mahave.

Por sua vez, Domingos Chapepa, representante da empresa Afro-Metal, empresa que se dedica à compra e venda de ferro-velho, distanciou-se do suposto roubo de material ferroviário.

“Nós simplesmente compramos ferro-velho e adquirimos todo o tipo de material. Infelizmente, nem sempre é fácil distinguir o tipo de material [comprado], porque vem demasiado misturado. Neste caso, fomos surpreendidos com esta situação. Garantimos que não sabíamos que era material ferroviário roubado”, explicou Chapepa.

O interlocutor não conseguiu, porém, explicar por que razão o referido material estava a ser empacotado sem a presença de elementos das empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique. O caso já está sob alçada da Polícia da República de Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos