O País – A verdade como notícia

Apoiantes de Simango e Domingos à presidência do MDM em braço-de-ferro na Beira

O apoio de candidatos à presidência do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) está a criar um ambiente tenso no meio do braço juvenil do MDM, na cidade da Beira.

Uma confusão entre os membros da Liga da Juventude culminou com supostas agressões, protagonizadas alegadamente pelos apoiantes de Lutero Simango contra o apoiante do actual secretário-geral, José Domingos.

Tudo começou no sábado passado, quando Albino Mussendo, actual presidente da Liga da Juventude do MDM, na cidade da Beira, nomeado há cerca de um mês, perante membros do seu partido, anunciou o seu apoio à candidatura de Lutero Simango.

Na mesma sala, encontravam-se outros jovens que apoiam a candidatura de José Domingos, com destaque para o anterior presidente da Liga da Juventude da Beira, Muxica dos Santos. Ele e os outros foram supostamente violentados e escorraçados da sala.

À noite, Mussendo terá orientado um grupo de jovens a dirigir-se à residência de Muxica dos Santos, no bairro da Munhava, a fim de levar uma motorizada que pertence ao partido. Muxica dos Santos recusou, alegando que a hora era imprópria e que tal processo deveria seguir as normas estabelecidas dentro do partido, pelo que ele faria a entrega pessoalmente.

Não concordando, os apoiantes de Mussendo retiraram-lhe à força uma outra motorizada. No dia seguinte, Dos Santos submeteu uma queixa na quarta esquadra, localizada no bairro da Munhava, contra o presidente da Liga da Juventude e os seus seguidores, reclamando o seu bem e também pelos supostos maus-tratos.

A audição estava marcada para a passada terça-feira. A Polícia, depois de ouvir as duas partes, entendeu que se tratava de uma disputa política e orientou os dois grupos a resolverem o problema de forma pacífica na sede do partido.

Em contacto com o jornal “O País”, Muxica Dos Santos lamentou a atitude dos companheiros do partido.

“O MDM é um partido democrático e estamos a viver um processo democrático que deverá culminar com a eleição de um novo presidente. É normal que haja grupos que apoiem candidaturas diferentes. Este facto não pode ser motivo para nos agredirmos, pois, se Lutero Simango ganhar as eleições, ele precisará de todos os membros do partido. Gostaria de apelar aos meus companheiros para actuarem com civismo, pois só assim é que o resultado das eleições vai alegrar todos os membros do partido”, exortou Muxica para depois denunciar: “foi-me destituído do cargo exactamente por apoiar José Domingos e isso não é correcto”.

O actual presidente da Liga da Juventude do MDM negou que tenha violentado Muxica dos Santos e reconheceu que mandou arrancar-lhe uma motorizada. “Era uma forma de o pressionar para entregar o bem do partido. Ele está na posse de uma mota e queremos reavê-la para trabalhos políticos”, explicou Mussendo.

Mussendo reconheceu que está instalado um braço-de-ferro no meio do partido na Beira. “Sim. A desavença está clara, porque ele está a apoiar José Domingos. É um grupinho que quer enterrar os ideais de Daviz Simango. Estão a dilapidar os bens do partido e nós não vamos permitir isso.”

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos