O País – A verdade como notícia

AMVIRO defende adopção de um fundo nacional para prevenção de acidentes

Foto: O País

A Associação das Vítimas de Acidentes de Viação (AMVIRO) defende flexibilidade na adopção e implementação de um fundo para os sinistros rodoviários no país. Um instrumento que se espera que venha a contribuir na compensação das vítimas de acidentes de viação, bem como em acções de prevenção contra a sinistralidade.

Celebra-se hoje o Dia Mundial em Memória às Vítimas dos Acidentes de Viação e o presidente da AMVIRO, Alexandre Nhampossa, diz que é chegado o momento de o país ter o fundo nacional de acidentes de viação.

“O que é o facto é que o fundo nacional de acidentes é uma ferramenta que contribuirá para financiar as acções de segurança rodoviária de forma sistemática. Estamos hoje a reclamar a falta de investimentos na segurança rodoviária e dados que nós temos é que esse fundo é potencial para gerar recursos para essas dimensões todas. Portanto, estamos preocupados com a necessidade de que esta ferramenta possa ser criada o mais urgente possível”, referiu.

Devido à efeméride, alunos de algumas escolas da Cidade de Maputo juntaram-se a várias organizações da sociedade civil para uma campanha de sensibilização aos automobilistas sobre a problemática dos acidentes de viação, que diariamente causam morte e dor nas famílias.

Silva Sitoe, aluna de 16 anos de idade, há três anos viu-se envolvida num acidente de viação. O carro em que seguia a viagem era conduzido pelo seu pai e ambos saíram feridos, marcas que permanecem na sua consciência e o tempo não consegue apagar.

“Aconteceu um acidente; o meu pai embateu contra um carro, que embateu de seguida contra um camião e o carro do meu pai pendurou-se no muro do hospital. Foi-nos socorrido por agentes da Polícia e bombeiros, tendo-nos levado de imediato para o hospital, mas o meu pai estava inconsciente. Depois do hospital, fomos levados à esquadra, onde o meu pai fez teste de alcoolemia e, no fim, o meu tio veio buscar-nos. Fiquei assustado com a situação e tive ferimentos ligeiros”, relatou o adolescente que também se juntou ao movimento cívico de consciencialização sobre o impacto dos acidentes de viação na sociedade.

Texel Cossa, representante de uma organização não-governamental designada AMEND, diz ser necessária maior responsabilidade de todos quando o assunto é prevenir sinistralidade.

“Neste dia, além de estarmos a lembrar as vítimas de acidentes de viação, nós também queremos chamar atenção a todos os moçambicanos para termos mais cuidados nas nossas estradas. Tendo em conta que já estamos próximos da quadra festiva, gostaríamos de apelar a todos para conduzirem com responsabilidade.”

Dados da AMVIRO estimam que mais de 50% dos acidentes de viação, ocorridos na Cidade de Maputo, este ano, foram atropelamentos contra peões.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos