O País – A verdade como notícia

Amisse Cololo encerra campanha com marcha e mega comício no centro da cidade

O encerramento da campanha do candidato da Frelimo à eleição Intercalar de Nampula, na próxima quarta-feira, iniciou com uma longa e muito concorrida marcha que partiu da sede do Comité Provincial passou por várias artérias paralisando o trânsito e chamando a atenção dos munícipes.

Para além de Amisse Cololo António participaram o Secretário-Geral da Frelimo, Roque Silva, membros da Comissão Política da Frelimo como Verónica Macamo, Margarida Talapa, Chefe da Bancada Parlamentar da Frelimo, Tomaz Salomão que assiste a província de Nampula, Manuel Tomé, entre outros quadros seniores do partido no poder. A marcha foi terminar na parte frontal do Pavilhão dos Desportos, local onde decorreu o comício popular para encerrar a campanha.

No comício, esteve presente Maria Luísa Chimele, viúva de Mahamudo Amurane, edil que se pretende substituir com a eleição intercalar em curso, e três vereadores que foram indicados por Amurane e que continuam neste momento a dirigir o município de Nampula.

Aliás, no seu discurso, o candidato da Frelimo prometeu que não vai correr com ninguém caso vença as eleições e que os vereadores e outros dirigentes do Conselho Municipal da cidade de Nampula, pois considera que se lá estão é porque são pessoas preocupadas com o desenvolvimento daquela cidade, daí que vai contar com o apoio deles para dar seguimento à melhoria das condições de vida dos residentes da terceira maior cidade do país.

O candidato diz que, durante os 13 dias da campanha eleitoral, interagiu com muitos munícipes que colocaram preocupações que o seu manifesto eleitoral vai procurar responder porque já previa. E as preocupações tem a ver com a necessidade de melhorar a recolha de lixo por toda cidade e com destaque para os mercados, reabilitar os principais mercados que se encontram em péssimas condições e construir neles sanitários, reabilitar algumas estradas, organizar os motociclistas que transportam passageiros, disponibilizar um fundo para apoiar os pequenos vendedores, promover torneios desportivos entre os bairros e realizar campanhas de educação para saúde de modo a combater a malária, as diarreias e a desnutrição crónica na cidade.

O secretário-geral da Frelimo, que dirigiu a cerimónia de encerramento, disse que Cololo é o único candidato que oferece garantias aos residentes de Nampula que irá cumprir com as promessas que fez nos últimos 13 dias e pediu a todos para que na próxima quarta-feira colocassem como prioridade ir votar. E que devem convidar seus familiares, vizinhos e amigos para logo às primeiras horas se dirigirem às mesas de votação para exercer o seu direito cívico.

Frelimo denuncia uso de bens do Estado pelo MDM

O primeiro-secretário da cidade de Nampula do partido Frelimo, Leonel Namuquita denunciou, no sábado, que o candidato do Movimento Democrático de Moçambique estava a usar equipamentos e recursos humanos dos municípios de Nampula e Quelimane para recolher lixo pela cidade como mais uma acção de campanha eleitoral. Para Namuquita tal configurava num ilícito eleitoral porque não se pode usar bens do Estado para convencer o eleitorado.

A nossa equipa de reportagem confirmou no terreno a recolha de lixo com camiões, pá escavadora e contentores dos Municípios de Nampula e Quelimane e com o candidato do MDM a acompanhar o processo. No momento, Carlos Saíde disse que estava a demonstrar de forma prática que se for eleito edil de Nampula irá mesmo remover o lixo em apenas sete dias e que por isso recorreu ao apoio do Município de Quelimane para reforçar com meios humanos e equipamentos para fazer essa demonstração.

O interino de Nampula, Américo Iemele que também estava a orientar os trabalhos disse que antes não foi possível limpar a cidade porque a edilidade não dispõe de condições para o efeito e que havia falta de vontade de alguns vereadores daí que foi necessário trazer pessoal de Quelimane para fazer o trabalho.

Por seu lado, o presidente do Município de Quelimane, Manuel de Araújo, disse que a ajuda do seu município devia ser entendida como solidariedade para com os munícipes de Nampula pois o lixo prolifera pela cidade e com as chuvas fortes que caíram na última semana há o risco de eclodir cólera e diarreias pela cidade, daí que durante a campanha eleitoral que esteve a fazer a favor de Carlos Saíde entendeu que devia apoiar Nampula com meios para limpar a cidade.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos