O País – A verdade como notícia

Amilton Macicame, Chaná de Sá e Sebastião Matsinhe inauguram exposicao colectiva

Os artistas plásticos Amilton Macicame, Chaná de Sá e Sebastião Matsinhe inauguram, esta quarta-feira, a colectiva “Ventre Triangular”, na Fundação Fernando Leite Couto (FFLC), cidade de Maputo.

 

De acordo com a nota de imprensa sobre a mostra de artes plásticas, os motivos das telas que a compõem representam um mundo de histórias circundantes, reunindo formas, objectos e sujeitos insólitos. Assim, através de narrativas pictóricas, os três artistas conjugando acertadamente os elementos das suas obras, levam o público a visitar lugares que reflectem a sua aproximação ao meio ambiente, à busca de contacto com a terra onde nasceram e à expressão do seu povo.

A curadora da mostra, Yolanda Couto, explicou, segundo a nota de imprensa, que o título “Ventre Triangular” deve-se ao facto de se reunirem na colectiva três artistas que conviveram e trabalharam criativamente as suas obras, analisando os problemas da pintura. A colectiva reflecte três percursos cujo denominador comum dos artistas é terem nascido em Inhambane e apostarem na pintura como veículo da expressão do Ser.

“Inicialmente autodidata, Amilton Macicame, de espírito irreverente, manifestando liberdade, inventividade e ousadia, foi acarinhado e apoiado pelos dois artistas. Desenvolveu a técnica mista sob a tela, como atestam as obras ‘Operárias’, ‘Melodia Africana’ ou ‘Luar’. Macicame cria um simultâneo de imagens sobrepostas, onde se destaca a figura que emana no centro e que invade, de modo expansivo, a superfície pintada, desvendando situações imprevistas do quotidiano. Matsinhe, através das técnicas de acrílico sob a madeira e sob a tela, liberta-se do estabelecido através das formas abstractas que ganham relevo com cores vibrantes. A curadora observa que as imagens nas telas partem da realidade visível no quotidiano da existência, da vida. Chaná de Sá, recorrendo ao acrílico sob a tela e a técnica mista sob o papel, suaviza as suas imagens, retirando-lhes agressividade através do traço curvilíneo que utiliza com mestria, dando às suas obras um sentimento amoroso, que é, por vezes, sulcado de gestos provocatórios”, lê-se na nota de imprensa da FFLC.

“Ventre Triangular” estará aberta até dia 30, na galeria da Fundação Fernando Leite Couto.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos