O País – A verdade como notícia

Américo Muchanga é novo PCA dos Aeroportos de Moçambique

Foto: O País

O Governo trocou Emanuel Chaves por Américo Muchanga no cargo de Presidente do Conselho de Administração (PCA) dos Aeroportos de Moçambique, empresa pública. A decisão foi tomada ontem na sessão do Conselho de Ministros.

O homem que se segue nos Aeroportos de Moçambique, engenheiro de tráfego em redes ópticas, tem larga experiência na área das comunicações, tendo exercido, por vários anos, o cargo de Presidente do Conselho de Administração do Instituto Nacional das Comunicações (INCM).

Durante o seu percurso profissional, Américo Muchanga foi também director geral da INCM e exerceu as funções de director de Planeamento e do Centro de Informática da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), a mais antiga instituição de ensino superior do país.

Na sessão do Conselho de Ministros de ontem, o Executivo moçambicano decidiu ainda reconduzir Domingos Bié ao cargo de Presidente do Conselho de Administração da Empresa Moçambicana de Dragagem (EMODRAGA), uma entidade pública.

 

GOVERNO NÃO EXECUTOU 28% DO SEU PLANO PARA 2021

O Governo não conseguiu executar 28% das actividades que tinha planificado para o ano passado. Segundo o balanço do Plano Económico e Social (PES), apesar de o metical ter apreciado face ao dólar e ao rand, a vida ficou ligeiramente mais cara em 2021.

Os ataques terroristas no Norte do país, a propagação da pandemia da COVID-19 e os desastres naturais, entre outros factores, podem explicar o resultado.

“O balanço, no entanto, situou-se, assim, em 72%. As reservas líquidas internas fixaram-se em cerca de 5,1 meses de cobertura, ligeiramente abaixo dos 6,8 meses previstos no Plano Económico e Social de 2021”, referiu Inocêncio Impissa, porta-voz do Conselho de Ministros.

Entretanto, o custo de vida agravou-se ligeiramente, tendo o nível geral de preços subido até 5,69%, acima dos 5% esperados pelo Executivo no ano passado.

Da actualidade, o Executivo analisou a situação da época chuvosa e ciclónica, tendo o porta-voz do Conselho de Ministros dito que foram desactivados quase todos os centros que acolhiam as famílias afectadas, faltando três, na província de Tete.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos