O País – A verdade como notícia

Alguns alunos da 1ª e 2ª classes ainda não têm livros na Cidade de Maputo e Matola  

Foto: O País

Alunos da 1ª, 2ª e 6ª Classes ainda não receberam o livro de distribuição gratuita em várias escolas das Cidades de Maputo e Matola. O atraso na distribuição do livro está a obrigar os professores a usarem meios alternativos e até mesmo livros antigos.

Há mais de um mês que as aulas retomaram e este instrumento de ensino e aprendizagem ainda não chegou aos destinatários; 1ª e 2ª são as classes que mais necessitam, visto que trata-se do primeiro contacto das crianças com os conteúdos.

São alunos que em condições normais não sabem ler e escrever, quanto menos copiar o que está no quadro. A existência do livro facilita o início da aquisição dessas habilidades.

Um problema sem previsão concreta de resolução, dado que os gestores escolares não sabem quando vão receber os livros.

Na Escola Primária Completa da Liberdade, no Município da Matola, Província de Maputo, cerca de 450 crianças da 1ª e 2ª classes não têm o livro de distribuição gratuita.

“O que nós sabemos é que já devíamos ter o livro, mas, até então, não o tínhamos. Não sabemos o que está a acontecer”, disse Zuleica Mércio, directora da escola.

Ainda na Matola, a mesma situação é vivida na Escola Primária Completa Ngungunhana, onde cerca de trezentos alunos não têm o material, entretanto, como alternativa os professores desenham figuras no quadro para facilitar as crianças.

De acordo com o director da escola, Conceição Custódio, é também dada uma orientação aos pais e encarregados de educação, no sentido de fazer o respectivo acompanhamento.

Com esforço redobrado tem sido possível que as aulas das primeiras classes aconteçam, mas, avisam os gestores escolares, o mesmo já não poderá acontecer no próximo trimestre.

Para algumas escolas a solução tem sido recorrer ao stock que restou no ano passado, bem como a aqueles livros devolvidos pelos alunos nos anos anteriores. É o que acontece na Escola Primária Completa das Mahotas, na Cidade de Maputo, onde pelo menos 140 alunos só têm um livro.

Algumas escolas não têm o livro da 6ª classe, “mas porque o professor não pode trabalhar sem livro, a solução são os livros electrónicos.

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, através da sua porta-voz, Gina Guibunda, reconhece o atraso e assegura que a distribuição do livro vai acontecer gradualmente, devendo estar concluída até final deste mês.  “De facto já começámos a receber alguns contentores, e é por isso também que começamos a trabalhar com algumas escolas para que os alunos não percam aulas por esse motivo”, disse.

E as crianças vão aprendendo enquanto o livro não chega.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos