O País – A verdade como notícia

Algumas bacias hidrográficas do Centro e Norte do país poderão registar subida nas próximas 72 horas

Foto: Weekpedia

Segundo o Boletim Hidrológico Nacional emitido esta quinta-feira pelo Departamento de Gestão de Bacias Hidrográficas, nas últimas 24 horas, houve registo de chuva fraca a muito forte na rede nacional de observação hidroclimatológica, destacando-se as bacias dos rios Incomáti em Mapulanguene (42.4mm), Magude (38.3mm), Barragem de Corumana (28.0mm) e Ressano Garcia (23.2mm); Limpopo em Chókwè (54.3mm), Barragem de Massingir (48.2mm) e Combomune (28.4mm); Púngoè em Púngoè Fronteira (200.5mm), Ponte Gorongosa (100mm), Púngoè Sul (98.2mm), Vila de Gorongosa (184.0mm) e Gondola (55.4mm); Zambeze em Cassacatiza (60.0mm), Meponda (37.0mm) e Megaruma em Megaruma (54.2mm) e Namanhumbir (10.4mm).

Na região Centro do país, as bacias hidrográficas dos rios Búzi em Dombe e Púngoè em Púngoè Sul registam oscilação do nível hidrométrico, com tendência a subir, mantendo-se acima do alerta.

A bacia do Licungo em Mocuba e Gúruè regista redução do nível hidrométrico, face ao abrandamento de chuva, mantendo-se, no entanto, em alerta. A bacia do Zambeze regista nível hidrométrico oscilatório com tendência a baixar, tendo saído do alerta nas estações de Tambara e Chingodzi na sub-bacia do rio Revúbuè.

Na região Sul, a bacia do Maputo em Madubula regista redução do nível hidrométrico, mantendo-se em alerta. As restantes bacias registam níveis oscilatórios com tendência a baixar, mantendo-se abaixo do alerta.

Face às previsões meteorológicas e a situação hidrológica prevalecente, para as próximas 72 horas, prevê-se uma subida do nível hidrométrico nas bacias hidrográficas dos rios Búzi em Goonda e Púngoè em Mafambisse, devido ao pico de caudal registado nas estações a montante, mantendo-se em alerta.

As bacias dos rios Licungo em Mocuba e Maputo em Madubula poderão registar níveis oscilatórios com tendência a baixar, mantendo-se em alerta. Para as restantes bacias, não se prevê alteração significativa do actual cenário hidrológico.

A Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos (DNGRH), do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (MOPHRH), apela à população vivendo em zonas baixas e ribeirinhas, particularmente, nas bacias dos rios, Búzi, Púngoè, Zambeze, Licungo, Ligonha, Meluli, Lurio, Megaruma, Montepuez, Messalo e Rovuma, para se manter em zonas altas e seguras e evitar a travessia do leito dos rios, devido ao elevado volume de escoamento.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos