O País – A verdade como notícia

Alcinda Panguana até tentou…

Morreu o sonho de Alcinda Panguana chegar às meias-finais dos Jogos Olímpicos, na modalidade de boxe, na categoria dos 64-69 Kg.

É que a pugilista moçambicana de 27 anos de idade foi derrotada, esta sexta-feira, pela chinesa Hong Gu, em combate inserido nos quartos-de-final do torneio de Boxe dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, falhando uma presença inédita nas meias-finais do olimpo, que decorre no Japão.

Na primeira vez moçambicana, nos “quartos” dos Jogos Olímpicos, a mulher que fez um KO técnico na sua estreia de sempre, no boxe, não foi capaz de ir mais longe. Faltou, convenhamos, experiência diante de uma chinesa que tem no seu palmarés dois campeonatos asiáticos conquistados – 2017 e 2019, e foi por duas vezes medalha de prata nos campeonatos mundiais (2016, em Astana, no Cazaquistão e em 2019, em Nova Deli, na índia).

A pugilista moçambicana até procurava disfarçar a sua inexperiência através de iniciativas de golpe, sem no entanto ser mais certeira que a sua adversária. Foi assim nos dois primeiros combates.

Ora, no terceiro e último combate Alcinda Panguana apostou tudo no ringue, mas só um KO poderia inverter o resultado, contudo, uma vez mais a experiência da chinesa realçou-se, tendo vencido novamente o assalto.

Não houve mais, os juízes decidiram unanimemente dar vitória à pugilista chinesa, por 5-0, terminando desta forma o sonho de Alcinda Panguana chegar às medalhas, porque caso tivesse atingido as meias-finais teria direito, no mínimo, à medalha de bronze.

Agora, é só depositar toda a esperança em Rady Gramane, que vai entrar em cena para os “quartos” da competição, para defrontar Zenfira Magomedalieva do Comité Olímpico Russo, num combate marcado para este sábado, 31 de Julho, às 11h51 de Maputo (18:51 de Tóquio).

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos