O País – A verdade como notícia

AJUDEM diz que membros estão a ser ‘obrigados’ a abandonar a causa

A Associação Juvenil para o Desenvolvimento de Moçambique anunciou, esta terça-feira, que há membros da sua lista de candidatura que vão abandonar a agremiação. O mandatário de candidatura da AJUDEM, Zefanias Langa, disse que são quatro os candidatos interessados em abandonar, mas para ele é uma decisão forçada pelas perseguições de que os visados estão a ser vítimas.

Zefanias Langa diz que as perseguições são protagonizadas por opositores políticos na corrida eleitoral, que “tentam, a todo o custo” afastar a sua lista das Autarquias de 10 de Outubro.

Langa explicou que estas perseguições consistem na notificação dos integrantes da lista de candidatos a membros do Conselho Autárquico para serem interrogados sobre as razões que os levaram a aderirem ao movimento. Depois desta parte, segue-se a “pressão para renunciarem sob ameaças de perdem emprego e cargos da função pública, entre outras formas de coação”.

Como exemplo das ameaças, Langa mencionou Gaspar Marques, trabalhador do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural. Colocado na parede entre perder o emprego e continuar no movimento AJUDEM, “obviamente preferiu o emprego”, por isso está entre os que pretendem abandonar a lista, a par de outros três “obrigados a abandonar a corrida eleitoral”.

Os membros mandaram uma notificação à Comissão Nacional de Eleições, na qual alegavam que os seus nomes foram postos na lista da AJUDEM sem o seu conhecimento quanto menos consentimento.

Mas a AJUDEM considera infundada essa alegação, já que para a formalização das candidaturas exige-se registo criminal “tratado de forma presencial”, onde indicaram para que fins se destina.

O grupo de cidadãos, que tem como cabeça-de-lista Samora Machel Júnior, diz que a acção dos quatro elementos é de má-fé, pois os mesmos não comunicaram a sua decisão ao movimento solicitando a sua retirada.

Caso os quatro elementos saiam, a lista poderia estar na iminência de ser afastada da corrida eleitoral. Mas esse não é um problema que preocupe o mandatário de candidatura da AJUDEM. “Temos suplentes para isso. E mesmo que os suplentes não fossem suficientes, temos processos de outros candidatos que em dois tempos podemos encaixar”.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos