O País – A verdade como notícia

Ainda há áreas férteis à corrupção no sector público

O sector privado diz que a adjudicação de obras públicas, a exploração de madeira e a fiscalização rodoviária, são os sectores com mais casos de corrupção em Inhambane.

A constatação foi apresentada pelo presidente do Conselho Empresarial de Inhambane, na esteira de um seminário de capacitação em matérias de prevenção da corrupção.

O sector público é desde muito o maior cliente das empresas privadas em Inhambane, através da prestação de vários serviços.

Entretanto, o sector privado diz que o sector das Obras públicas, expiração de madeira e fiscalização rodoviária, são as áreas mais férteis para a corrupção, revelou Abdul Razaque.

Razaque defende que em parte tal situação acontece devido a criação de ciclos viciosos, uma vez que em Inhambane há casos em que funcionários públicos são membros da UGEA há mais de 10 anos.

Esta quinta-feira o gabinete de combate à corrupção em Inhambane, promoveu uma capacitação em matérias ligadas a prevenção da corrupção, até porque segundo defende o director daquela instituição, Sinai Lonzo não há corrupto, sem corruptor.

Os intervenientes nesta capacitação, defendem que mais do que criar mecanismos de retração da corrupção, é preciso mudar o caráter dos diversos actores, quer no sector público quer no privado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos