O País – A verdade como notícia

Água continua a chegar de forma irregular em alguns bairros da cidade de Maputo

Nos últimos dias o abastecimento de água potável é feito sem limitações às cidades de Maputo, Matola e Boane. Entretanto, consumidores de alguns bairros da cidade de Maputo dizem que a água não chega às suas torneiras com frequência. O exemplo da Sra Cecília Armando, residente no Bairro da Maxaquene “C” arredores da capital do país contou a reportagem do Jornal “O País” que na sua residência o chamado precioso líquido não chega todos os dias “Pelo menos de duas semanas para cá a água sai com muita baixa pressão, muito baixa mesmo e não demora fechar”.
 
No mesmo bairro, encontramos Francisco Silva, ele, manifestou o desejo de ver a água potável da rede pública a sair 24 horas por dia. Enquanto isso não acontece vai gerindo a irregularidade do abastecimento de água a sua casa com um depósito suspenso com capacidade de 500 litros.
 
Enquanto isso, no centro distribuidor do Chamanculo, os técnicos da Empresa Águas da Região de Maputo trabalham para repor as condutas obsoletas e eliminar as fugas que geram perdas. É a partir daquele centro distribuidor que a água chega aos bairros do Alto-Maé, Maxaquene, Mavalane, Polana Caniço, Mahotas, Mapulene, Chiango e à zona dos pescadores. Devido às fugas de água, por a tubagem ser antiga, o precioso líquido chega às casas sem pressão. Assim, o trabalho em curso visa garantir que com o fim das restrições as famílias tenham água pelo menos 12 horas por dia. Disse Cláudia Ronda, que acrescentou ainda que “desde o fim das restrições estamos a dar água num regime contínuo naquilo que é a distribuição sem restrições por causa do aumento da disponibilidade de água na barragem dos pequenos libombos. Então as restrições que vinham acontecendo desde 2017 e 2018 neste momento não estão a registar-se, pelo contrário, até melhoramos o serviço e vínhamos com uma média de 8 horas de distribuição mas hoje em dia para todo o sistema temos em média de 12 horas ”
 
O levantamento das restrições no abastecimento de água foi anunciado em Outubro passado, pelas autoridades moçambicanas do sector dos recursos hídricos. Contudo, o cenário pode mudar caso não chova nos próximos meses, uma vez que a Barragem dos Pequenos Libombos, que abastece directamente a cidade de Maputo, está com níveis baixos de água. A Barragem de Corumana, fonte alternativa ao abastecimento do precioso líquido, também está com níveis baixos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos