O País – A verdade como notícia

África do Sul reabre fronteiras, economia e turismo a partir de Outubro

O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, disse esta quarta-feira que é hora de a Nação sul-africana voltar ao seu “novo normal” e reduziu o nível de alerta para 1, com efeitos a partir da meia-noite de 20 de Setembro. A partir de 01 de Outubro, serão permitidas viagens para dentro e fora da África do Sul para negócios, lazer e outras finalidades.

O Chefe de Estado sul-africano começou o seu discurso lembrando que “meio ano passou” desde que declarou estado de desastre nacional em resposta à pandemia do novo Coronavírus.

Até ao momento, mais de 15 mil sul-africanos perderam a vida, devido à doença, e mais de 650 mil foram confirmados como infectados.

Por causa disso, a economia e a sociedade sul-africana “sofreram grande devastação”, mas mesmo assim foi possível suportar essa “tempestade violenta e destrutiva”.

“Permanecendo juntos, permanecendo decididos, nós resistimos a isso”, disse Cyril Ramaphosa, para quem há dois meses, “no auge da tempestade”, a África do Sul registava cerca de 12 mil novos casos por dia.

Essa tendência baixou significativamente e, agora, o país regista, em média, menos de dois mil casos por dia. “Hoje temos uma taxa de recuperação de 89% (…)” e houve um declínio gradual e constante nas novas infecções, hospitalizações e mortes.

A demanda por camas hospitalares, ventiladores, oxigênio e outros requisitos médicos essenciais também reduziu de forma constante, seguindo o Presidente sul-africano. “Conseguimos superar a pior fase desta epidemia, protegendo a capacidade do nosso sistema de saúde”.

Neste contexto, “é hora de voltarmos para o que se tornará o nosso novo normal enquanto o Coronavírus estiver entre nós”.

Embora grande parte da actividade económica tenha sido retomada a partir de Junho, agora é hora de remover o máximo de restrições remanescentes à actividade económica e social, uma vez que é razoavelmente seguro fazê-lo, disse o Presidente da África do Sul.

Uma das primeiras medidas tomadas para “conter a propagação do vírus foi restringir severamente as viagens internacionais e fechar as fronteiras”, disse o Chefe de Estado sul-africano.

Mas com a mudança do nível de alerta para 1, haverá redução gradual e cautelosa das restrições sobre as viagens internacionais, disse o Presidente da África do Sul.

As viagens para dentro e fora da África do Sul para negócios, lazer e outras finalidades, com efeitos a partir de 01 de Outubro, estão sujeitas a várias medidas de contenção e mitigação da doença. As viagens podem ser restritas de e para determinados países com altas taxas de infecção.

Uma lista de países será tornada pública com base nos dados científicos mais recentes, disse Cyril Ramaphosa.

Na chegada à África do Sul, os viajantes deverão apresentar um resultado negativo do teste para a COVID-19, com validade até 72 horas a partir da hora de partida.

Se um viajante não tiver feito teste da COVID-19 antes da partida, deverá permanecer em quarentena obrigatória por conta própria.

Todos os viajantes serão examinados à chegada e aqueles que apresentarem sintomas deverão permanecer em quarentena até que haja repetição do teste da COVID-19.

Em preparação para a reabertura de nossas fronteiras, as missões sul-africanas no exterior serão abertas para os pedidos de visto.

“O sector de turismo é um dos nossos maiores motores económicos. Estamos prontos para abrir as portas novamente para o mundo e convidar os viajantes a desfrutarem” as montanhas, as praias, as cidades e a vida selvagem da África do Sul, “em segurança e confiança”, disse Ramaphosa.

Os protocolos de saúde, como a lavagem ou higienização das mãos, o distanciamento social e o uso da máscara devem ser estritamente observados.
Serão permitidos encontros sociais, religiosos, políticos e outros, desde que o número de pessoas não exceda 50% da capacidade normal do local.

Para as reuniões internas, o número máximo de participantes é de até 250 pessoas e 500 pessoas para as reuniões ao ar livre.

O número máximo de pessoas que podem assistir a um funeral aumentou de 50 para 100, disse Cyril Ramaphosa, alertando para ao maior risco de transmissão viral em funerais, daí a necessidade de observar as medidas de prevenção.

A venda de álcool nos locais para o consumo doméstico será permitida de segunda-feira a sexta-feira, das 09h00 às 17h00.

As restrições existentes sobre os eventos desportivos permanecem em vigor.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos