O País – A verdade como notícia

AEMO defende valorização do legado que Sérgio Vieira deixou

Foto: O País

O secretário-geral da Associação dos Escritores Moçambicanos sugere a valorização do legado deixado por Sérgio Vieira no mundo literário. O escritor Juvenal Bucuane descreve Sérgio Vieira como um impulsionador da literatura moçambicana.

A morte de Sérgio Vieira está a merecer reacções da classe dos escritores pelo seu papel como entusiasta da poesia, com um dos livros emblemáticos publicado “Também Memórias do Povo”.

Segundo Carlos Roque, Secretario Geral da AEMO, o livro prova o quanto era apurada a veia literária do Sérgio Vieira, e afirma categoricamente que é expoente da literatura moçambicana. “Perde a cultura moçambicana mas o papel próximo é valorizar a sua obra porque este é uma grande fonte de expiração da nova geração de poetas Moçambicanos”. Disse.

O escritor Juvenal Bucuane diz que suas obras marcaram a história do país no combate ao colonialismo, recorda ainda sobre a sua entrada na agremiação em 1983. “Eu e outros jovens, estou a falar dos escritores actuais, aproximamos na associação e Sérgio Vieira já estava la. Tinha a tradição de todas as sexta-feira fazer leituras literárias, em que se declamava poesia, discutia-se muito sobre a literatura”.

Como membro da Associação dos Escritores Moçambicanos, Sérgio Vieira exerceu várias funções, entre elas, de Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos