O País – A verdade como notícia

Advogados sem Fronteiras divulgam relatório sobre trauma de mulheres sobreviventes

Já passam mais de duas décadas e meia que as armas da guerra civil dos 16 anos se calaram, mas há sequelas deixadas na vida de algumas mulheres sobreviventes que nem o tempo consegue apagar. A memória destes acontecimentos relatados por mais de 200 mulheres vítimas é pela primeira vez trazida no relatório divulgado esta terça-feira pelos Advogados sem Fronteiras, em parceria com o Centro de Estudos Estratégicos Internacionais e MULEIDE.

Os pesquisadores fazem notar que apesar de ter havido acordo de paz seguido de uma espécie de amnistia entre Frelimo e Renamo, nunca houve um programa de reabilitação para com as sobreviventes da guerra.

Os autores do relatório apelam ao Governo para que garanta a participação das mulheres nos processos de pacificação. O relatório serve também de uma chamada de atenção à violência gerada pelos ataques em Cabo Delgado.
 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos