O País – A verdade como notícia

Adriano Maleiane visita zonas afectadas pelo ciclone Gombe em Nampula

Foto: GPM

O ciclone tropical Gombe passou, mas ficaram os danos. Nampula foi a província mais afectada, com um saldo de 15 óbitos. O Primeiro-Ministro diz que a prioridade é garantir água, energia e vias de acesso para os desalojados voltarem às suas casas.

João Amisse prende o martelo com a mão e bate nas chapas de zinco para tentar recuperar o que ainda dá. “Estou a desmontar chapas para essa mamã” – uma idosa que assistia ao processo, sentada nas proximidades de onde estava a sua casa que ficou reduzida, absolutamente, a nada.

O ciclone tropical Gombe passou e deixou milhares de famílias desalojadas. O distrito de Monapo, na província de Nampula, foi um dos mais afectados. Passam apenas três dias, mas parece uma eternidade para quem não tem onde dormir. É o caso de Rosa Cândido.

“Não sei como fazer para recuperar a casa. Não tenho marido, faleceu em 2013”, conta a mulher que se viu obrigada a carregar nos seus cinco filhos e ir abrigar-se na casa do irmão onde se juntam mais duas famílias.

Algumas escolas foram transformadas em centros de acolhimento temporário. Estivemos numa delas, arredores da vila-sede de Monapo. A lista no caderno é a prova do registo dos desalojados. Quando chega a hora de comer, ouve-se o ecoar da voz de controlo, chamando um por um para ter a refeição básica garantida pelo INGD: xima de farinha de milho ou arroz e feijão.

No meio ao desespero, surgem perguntas que não têm um destinatário concreto: “não penso nada. Não sei…o Governo é que vai pensar”, limita-se Mamo Ali.

O Governo até esteve por perto, na pessoa do Primeiro-Ministro, mas, neste momento, levava na manga o que pode ser pouco, mas preciosa: “estivemos lá com a população de Namige, para dar solidariedade”, disse Adriano Maleiane, Primeiro-Ministro que fez a sua primeira viagem nessa qualidade para fazer chegar a mensagem do Presidente da República.

“O que é importante, realmente, é repor aquilo que é básico: água, energia, vias de acesso e depois encontramos as soluções para as pessoas poderem voltar às suas casas”.

De resto, Nampula foi a província bastante assolada pelo “Gombe”, com todos os 15 óbitos registados naquele ponto do país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos